quinta-feira, 24 de fevereiro de 2022

Bolsonaro se pronuncia sobre conflito entre Rússia e Ucrânia, General Mourão, Putin e defesa da paz


Durante sua live semanal, o presidente Jair Bolsonaro explicou que quem fala sobre relações internacionais é o presidente da República. O presidente mencionou entrevista concedida pelo vice-presidente, general Hamilton Mourão, e disse: “quero deixar bem claro: o art. 84 da Constituição diz que quem fala sobre esse assunto é o presidente, e o presidente chama-se Jair Messias Bolsonaro. Com todo o respeito, essa pessoa que falou isso está falando algo que não deve. Não é de competência dela”.

O presidente explicou que, para se pronunciar sobre assuntos internacionais, ouve primeiramente o ministério das Relações Exteriores e o ministério da Defesa. Bolsonaro disse: “nós queremos a paz. Viajamos em paz para a Rússia, fizemos um contato excepcional com o presidente Putin, acertamos a questão dos fertilizantes. Somos, sim, dependentes de fertilizantes da Rússia e da Bielorússia”. O presidente acrescentou: “Quem fala dessas questões chama-se Jair Messias Bolsonaro e quem tem dúvida disso pode procurar na Constituição. Quem está falando está dando peruada naquilo que não lhe compete”.

O ministro das Relações Exteriores, Carlos França, explicou que a equipe está concentrada no plano de contingência para retirar os brasileiros da Ucrânia e afirmou: “nós só vamos retirar os brasileiros quando tivermos condições adequadas de segurança”. O ministro pediu aos brasileiros que se encontram naquele país que entrem em contato com a Embaixada. 

Bolsonaro lembrou que, em seu governo, as relações exteriores vêm sendo bem conduzidas e estão intensificando o comércio com outros países. O presidente disse que o foco é melhorar as relações comerciais com todo o mundo, inclusive a Rússia e a Ucrânia, e afirmou: “Sempre queremos a paz. A paz interessa a todos, a guerra não interessa a ninguém”. O presidente afirmou :”Teremos uma reunião para dimensionar o que está acontecendo”. E relembrou: “Quem fala pelo Brasil nessas questões internacionais é o presidente da República”. 

A ditadura da toga segue firme. O Brasil tem hoje presos políticos e jornais, parlamentares e influenciadores censurados. A Folha Política tem toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com o aplauso e o respaldo do ministro Luís Roberto Barroso. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas.

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, inclusive celulares e tablets dos sócios e de seus filhos. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há quase 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...