sexta-feira, 4 de fevereiro de 2022

Ministro de Bolsonaro reage a esquerdistas e dispara: ‘Chega de usar os professores como massa de manobra político-eleitoral’


O ministro da Educação, Milton Ribeiro, discursou na Cerimônia de Valorização dos Professores da Educação Básica, quando disse: “Em raro reconhecimento da categoria dos professores, o presidente Jair Bolsonaro decidiu pelo maior reajuste salarial desde a aprovação da lei do piso salarial”.

O ministro rebateu os “especialistas” da velha imprensa e gestores que se opuseram ao tamanho do reajuste, apontando que mesmo antes do reajuste já havia recursos que não chegavam aos professores. 

O ministro disse: “Em 2021, o protagonismo foi dos profissionais de Saúde. Em 2022, o protagonismo será dos profissionais de Educação. Chega de usar os professores e os profissionais de educação apenas como uma massa de manobra político-eleitoral. Está na hora de ações diretas. E uma ação direta é essa, que respeita o profissional e dá a ele um ganho a mais, dentro dessa situação. E foi isso que, sob a orientação do nosso presidente, nós fizemos”. 

O ministro Milton Ribeiro afirmou: “a educação básica é o alicerce para que possamos ter uma nação equilibrada, com progresso. Como se constrói a casa pelo alicerce. Gestões anteriores, políticas anteriores, festejavam iniciar a obra pelo telhado, com universidades e institutos, que são importantes, mas não são os mais importantes. O mais importante é a educação básica. É o alicerce para que alguém possa ter uma vida acadêmica equilibrada”.

O ministro anunciou um grande programa de formação de professores de educação básica, em cursos de graduação e especialização. O ministro também apresentou iniciativas para a qualificação dos professores e disse: “são ações como essas que vão garantir uma educação de melhor qualidade aos alunos brasileiros. Muito obrigado aos professores por sua dedicação. Muito obrigado ao presidente Bolsonaro, pela sua decisão. Teve que ter coragem para tomar essa decisão, presidente. Coragem”. 

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e pessoas que apenas têm um discurso diferente do imposto pelo cartel midiático vêm sendo perseguidos, em especial pelo Judiciário. Além dos inquéritos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, também o ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, criou seu próprio inquérito administrativo, e ordenou o confisco da renda de sites e canais conservadores, como Bárbara, do canal Te Atualizei, e a Folha Política. Toda a receita gerada pelo nosso jornal desde 1º de julho de 2021 está bloqueada por ordem do TSE, com aplauso do ministro Luís Roberto Barroso, que também é ministro do STF.

Sem a possibilidade de receber a renda de seu trabalho, o jornal corre o risco de fechar. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar, use o QR Code que está visível na tela para doar qualquer quantia, ou use o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há quase 10 anos, a Folha Política faz a cobertura da política brasileira, mostrando atos, pronunciamentos e eventos dos três poderes, quebrando a espiral do silêncio imposta pelo cartel de mídia que quer o monopólio da informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...