domingo, 6 de março de 2022

Bolsonaro alerta para cobiça internacional sobre a Amazônia, Forças Armadas, soberania e narrativas da mídia


Em pronunciamento no decorrer de transmissão ao vivo, o presidente Jair Bolsonaro advertiu para ameaças à soberania brasileira na Amazônia, salientou a necessidade de valorizar as Forças Armadas e frisou a defesa de métodos pacíficos para a resolução de conflitos. No ensejo, o chefe de Estado foi enfático ao apontar como a velha imprensa contribui para macular a imagem do Brasil internacionalmente, favorecendo narrativas que depreciam o agronegócio e trazem vantagens competitivas a países que concorrem com o Brasil.

O presidente asseverou: “Precisamos garantir paz à nossa população. Investir em nossas Forças Armadas, ser capaz de inibir qualquer aventura. Temos a Amazônia, não à toa temos países de olho em nossa Amazônia. Quando quiseram discutir a soberania da Amazônia, um chefe de Estado, da Rússia, vetou qualquer discussão nesse sentido. A Amazônia é nossa e sua soberania não pode ser relativizada. A melhor maneira de proteger a soberania é ter Forças Armadas capazes para inibir”.

Nesta toada, ele ressaltou: “A Amazônia tem uma tabela periódica lá embaixo da terra. Tem água potável, tem biodiversidade. Há muitas riquezas (...). O coração da Amazônia não pega fogo, floresta úmida não pega fogo. Mente quem afirma que a Amazônia pega fogo”

Dessa forma, o mandatário desabafou ao abordar a postura da Rede Globo e os impactos sobre o país: “No fundo, é uma briga comercial. Certos países concorrem conosco na questão das commodities e querem sempre nos acusar de alguma coisa. Estava com o presidente da Hungria e ele falou de sua preocupação com o desmatamento, com fogo. Eu respondi: Sua fonte de consulta é TV Globo, Folha de SP. São mentirosas essas informações. Isso tudo, lá fora, pesa contra a gente. Sabemos como, infelizmente, grande parte da mídia trabalha aqui no Brasil”.

Outrossim, o chefe de Estado ressaltou: “Somos de paz, um país de cristãos, que tem sido exemplo para o mundo, em especial na questão ambiental. Quando você viaja para a Europa, sobrevoa, não vê florestas, matas ciliares”.

A ditadura da toga segue firme. O Brasil tem hoje presos políticos e jornais, parlamentares e influenciadores censurados. A Folha Política tem toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com o aplauso e o respaldo do ministro Luís Roberto Barroso. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas.

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, inclusive celulares e tablets dos sócios e de seus filhos. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há quase 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...