quinta-feira, 10 de março de 2022

Bolsonaro desabafa sobre medida emergencial ‘travada’ no STF e cobra Rosa Weber: ‘teríamos muito menos problemas hoje com o preço dos combustíveis’


Ao tratar da questão do preço dos combustíveis durante sua live semanal, o presidente Jair Bolsonaro desabafou sobre a forma como é tratado por ministros do Supremo Tribunal Federal. O presidente lembrou que, há mais de um ano, vem falando sobre a composição dos preços dos combustíveis e o peso do ICMS cobrado pelos estados no preço final ao consumidor. 

O presidente apontou que seu governo vem propondo soluções pela via legislativa, mas lembrou que também pediu ao Supremo Tribunal Federal a regulamentação de uma emenda constitucional que uniformiza a cobrança do imposto estadual. Bolsonaro relatou: “o mundo todo está sofrendo com a questão da guerra da Ucrânia e Rússia, no preço dos combustíveis. O Brasil é um dos países que está com o combustível mais barato no mundo. Continua caro? Continua, sabemos disso perfeitamente. Queremos buscar solução. 

Estamos buscando há meses solução para isso. Deixo bem claro: se o Supremo Tribunal Federal tivesse julgado uma ação nossa para regulamentar uma Emenda Constitucional de 2001, teríamos resolvido grande parte desse problema. Essa nossa ação está com a ministra Rosa Weber, já está indo para seis meses e não se movimenta. É triste, porque a gente tem pressa para isso aí, e, lamentavelmente, o projeto não anda. E digo aos senhores todos: teríamos muito menos problemas hoje com o preço dos combustíveis se essa ação tivesse sido julgada pelo Supremo Tribunal Federal”. 

Os processos contra o presidente Jair Bolsonaro e o governo federal costumam ter andamento bastante célere no Supremo Tribunal Federal, em grande contraste com as ações propostas pelo governo. Além disso, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e pessoas que apenas têm um discurso diferente do imposto pelo cartel midiático vêm sendo perseguidos, em especial pelo Judiciário. Além dos inquéritos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, também o ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, criou seu próprio inquérito administrativo, e ordenou o confisco da renda de sites e canais conservadores, como Bárbara, do canal Te Atualizei, e a Folha Política. Toda a receita gerada pelo nosso jornal desde 1º de julho de 2021 está bloqueada por ordem do TSE, com aplauso do ministro Luís Roberto Barroso, que também é ministro do STF.

Sem a possibilidade de receber a renda de seu trabalho, o jornal corre o risco de fechar. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar, use o QR Code que está visível na tela para doar qualquer quantia, ou use o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há quase 10 anos, a Folha Política faz a cobertura da política brasileira, mostrando atos, pronunciamentos e eventos dos três poderes, quebrando a espiral do silêncio imposta pelo cartel de mídia que quer o monopólio da informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...