quarta-feira, 2 de março de 2022

Bolsonaro faz previsões e avaliação sob a ótica militar do conflito entre Rússia e Ucrânia


Em entrevista transmitida por meio de suas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro fez uma avaliação sob as perspectivas estratégica, tática e militar do conflito entre os exércitos da Rússia e da Ucrânia. 

O presidente lembrou: “Logicamente, tive uma vivência no Exército não só até o posto de capitão, dados os contatos e dada a situação de presidente da República, converso muito com os oficiais generais também. A diferença é muito grande entre uma tropa e outra. A tendência é de se resolver rapidamente isso daí. Quando falamos há dois ou três dias da evacuação de brasileiros, já teve problemas de combustíveis. Com certeza, refinarias foram bombardeadas. Os alvos militares também”

Bolsonaro acrescentou: “Se você quiser inviabilizar a movimentação de tropas inimigas, destroem aeroportos, pontes, viadutos. Desconheço como está sendo feita esta guerra lá. Dada a diferença de força, no meu entender, esse conflito se dará rapidamente. Talvez até antes da votação da resolução”

Outrossim, no que concerne aos fertilizantes e à possibilidade de produção no Brasil, o chefe de Estado pontuou: “Na questão dos fertilizantes, nós temos potássio, uma área que daria o tamanho de metade do Rio de Janeiro na foz do Rio Madeira. Agora, aquilo é demarcado como terra indígena. Essa área, no passado, era de competência da Petrobras explorá-la. Li uma matéria do Xico Graziano falando que a exploração havia passado para uma empresa vinculada ao Canadá. Responderam para mim com o carimbo de confidencial. Se eu falasse alguma coisa, iria responder por um crime de responsabilidade com a nossa nação. Depois, fiquei sabendo que a Petrobras fez um distrato, pagou uma fortuna e desfez. Veio-me à cabeça, agora, sobre, talvez, uma indústria do distrato. Vou mandar investigar”.

No Brasil, a ditadura da toga segue firme. O país tem hoje presos políticos e jornais, parlamentares e influenciadores censurados. A Folha Política tem toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com o aplauso e o respaldo do ministro Luís Roberto Barroso. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas.

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, inclusive celulares e tablets dos sócios e de seus filhos. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há quase 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...