quarta-feira, 9 de março de 2022

Coronel Tadeu rebate narrativas da velha imprensa e dá conselho ao MBL: ‘vocês queimaram o filme, pede pra sair’


O deputado federal Coronel Tadeu falou, em live transmitida pelas redes sociais, sobre o triste papel a que se presta a velha imprensa na cobertura do conflito entre Rússia e Ucrânia. O deputado apontou que a velha imprensa até esqueceu de seu assunto favorito, e só fala sobre o conflito. Ele apontou: “Sabe por quê? Porque eles querem imputar culpa nessa neutralidade do presidente Bolsonaro”. O deputado prosseguiu: “Vocês não vão imputar culpa nenhuma, não. Porque o presidente está correto. Então, a treta é com uma imprensa que insiste em falar que o presidente errou nessa postura de neutralidade. Pelo contrário: ele acertou, e acertou muito bem”.

Coronel Tadeu explicou que a velha imprensa já tenta criar a narrativa de que haverá desabastecimento e consequente inflação de alimentos. O deputado afirmou: “a imprensa está mentindo, dizendo que os alimentos vão encarecer, a comida vai ficar mais cara, porque vai faltar fertilizantes”. Coronel Tadeu disse: “não vai faltar fertilizantes. Chora, petezada, porque aqui a gente trabalha com responsabilidade, coisa que vocês não fizeram lá atrás, e estão querendo que o presidente caia em desgraça. Não vai cair”. 

O deputado falou ainda sobre a moção de repúdio aprovada pela Câmara dos Deputados contra o deputado estadual Arthur do Val, o “Mamãe Falei”, e as perspectivas para Do Val. Coronel Tadeu explicou que o deputado estadual divulgou uma carta aos colegas pedindo para não ser cassado e comprometendo-se a não concorrer à eleição. Coronel Tadeu apontou que a carta “pedindo arrego” pode não ter utilidade. O deputado disse: “eu acho que é irreversível”.

Coronel Tadeu lembrou ainda que Arthur do Val não estava sozinho em sua viagem, e Renan Santos, do MBL, também deve ser responsabilizado. O deputado apontou que o grupo “queimou o filme”, e sugeriu: “pede pra sair”. 

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e pessoas que apenas têm um discurso diferente do imposto pelo cartel midiático vêm sendo perseguidos, em especial pelo Judiciário. Além dos inquéritos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, também o ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, criou seu próprio inquérito administrativo, e ordenou o confisco da renda de sites e canais conservadores, como Bárbara, do canal Te Atualizei, e a Folha Política. Toda a receita gerada pelo nosso jornal desde 1º de julho de 2021 está bloqueada por ordem do TSE, com aplauso do ministro Luís Roberto Barroso, que também é ministro do STF.

Sem a possibilidade de receber a renda de seu trabalho, o jornal corre o risco de fechar. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar, use o QR Code que está visível na tela para doar qualquer quantia, ou use o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há quase 10 anos, a Folha Política faz a cobertura da política brasileira, mostrando atos, pronunciamentos e eventos dos três poderes, quebrando a espiral do silêncio imposta pelo cartel de mídia que quer o monopólio da informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...