quarta-feira, 30 de março de 2022

Daniel Silveira sobe à tribuna, volta a se pronunciar na Câmara e cobra decisão: 'escalada de autoritarismo por uma única pessoa'


O deputado Daniel Silveira discursou hoje, no segundo dia em que permanece na Câmara dos Deputados até que a Câmara decida sobre a suspensão da ação do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, contra ele. O deputado lembrou que a ação foi proposta com base em artigos da já revogada Lei de Segurança Nacional. 

O deputado explicou que lei revogada não pode ser aplicada e prosseguiu: “eu não me recuso a cumprir ordens judiciais. O que está acontecendo é que a ordem judicial emanada pelo ministro Alexandre de Moraes coloca em xeque todo o Parlamento e o Poder Legislativo. Uma vez que ele impõe medidas cautelares a um deputado antes de ser analisado pela Casa, o julgamento da ADI 5526 é muito claro: tem que passar pela Casa caso aconteça de atrapalhar o livre exercício do mandato parlamentar”. 

O deputado afirmou: “o que eu estou dizendo é que até aceito, sim, a imposição, quando os deputados decidirem se vai ser ou não aplicada”. O deputado afirmou que uma aceitação da ordem, por sua parte, abriria um precedente contra o poder Legislativo e para uma escalada de autoritarismo por uma única pessoa”. 

O deputado Daniel Silveira lembrou ainda que a abolitio criminis não é sequer a única causa de nulidade do processo, rememorando que o inquérito das Fake News, também conhecido como Inquérito do Fim do Mundo, já foi arquivado pela antiga Procuradora-Geral da República por ser inconstitucional. O deputado afirmou: “não se trata de persecução judicial, é uma persecução política”. 

O assédio ao deputado Daniel Silveira é parte de um assédio a um grupo de pessoas, tratadas como sub-humanos e cidadãos com menos direitos, por manifestarem suas opiniões livremente e por apoiarem o presidente Jair Bolsonaro. Medidas arbitrárias são tomadas contra essas pessoas, que têm seus direitos e garantias fundamentais desrespeitados. 

Além de ter tido a sede invadida e todos os seus equipamentos apreendidos, no âmbito de um inquérito do ministro Alexandre de Moraes, do STF, que foi posteriormente arquivado por falta de indícios de crime, a Folha Política, atualmente, tem toda a sua renda confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, com o apoio e o louvor dos ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode nos ajudar a manter o jornal em funcionamento, doe qualquer valor através do Pix, utilizando o QR Code que está visível no vídeo, ou o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize Pix, a conta da empresa Raposo Fernandes está disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo. 

Há quase 10 anos, a Folha Política vem mostrando os fatos da política brasileira, fazendo a cobertura dos três poderes, e dando voz a pessoas que o cartel midiático quer calar. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...