sábado, 2 de abril de 2022

Bolsonaro causa impacto em pronunciamento para generais e alerta: ‘Poucos querem fazer valer a sua vontade acima das leis. Eles têm que saber que não podem tudo’


Durante a transmissão de cargo do ministério da Defesa, o presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento, quando lembrou que a missão das Forças Armadas inclui a defesa da soberania e também a garantia do cumprimento da Constituição. O presidente disse: “A História bem demonstra que, nos momentos mais difíceis da nossa Pátria, as Forças Armadas sempre estiveram presentes. Os fatos dos últimos anos demonstram que as Forças Armadas são o último obstáculo para o Socialismo no Brasil. Nós todos aqui, sem exceção, somos privilegiados. Vivemos um momento onde as decisões, em última análise, fogem do campo político e vêm para o campo militar”.

O presidente prosseguiu: “O que a todos aqui interessa é o cumprimento da Constituição. Não é apenas jogar dentro das quatro linhas. Se preciso for, é fazer com que quem esteja fora delas venha para dentro deste campo. É neste campo que podemos fazer valer nossa democracia e nossa liberdade”.

O presidente alertou sobre os “poucos que podem muito” em Brasília, dizendo: “A todos os senhores, privilegiados por integrarem um governo que só Deus sabe como ele começou, bem como, agora, alguns poucos sabem como estamos de pé nos dias de hoje. Quem já passou por aqui pelo Planalto sabe como funciona a máquina do poder. Conhece cada um da cúpula dos três poderes. E sabe que poucos podem bastante. Querem fazer valer a sua vontade acima das leis. Eles têm que saber que não podem tudo. O que está em jogo para todos nós aqui no Brasil é algo mais valioso que a própria vida: a nossa liberdade”.

O presidente também alertou sobre o perigo da omissão, dizendo: “Jamais poderia imaginar, dois ou três anos na frente, volver seus olhos para o passado e se perguntar: o que eu não fiz para que chegássemos a esse ponto. Certas coisas, não se conquista para sempre. O dia a dia é que faz com que tenhamos a certeza que esse bem maior se faz presente entre nós. O Brasil é uma terra fantástica. Talvez sejamos uma das poucas democracias que podem dizer que continuará sendo dessa forma. O entendimento e o nosso relacionamento fará essa diferença”

Bolsonaro falou sobre a troca dos ministros, apontando que o general Braga Netto deixou o posto para concorrer às eleições. O presidente disse: “O meu colega de turma, um ano mais moderno, se afasta neste momento. Não é surpresa com quais objetivos. Alguns falam em nomes que podem facilitar a guerra de outubro, mas ficará longe da governabilidade e da garantia de um bem maior para todos nós. A escolha de técnicos passa, especificamente, por aqui. O nosso exemplo, o nosso sacrifício, que fará com que um Exército de 210 milhões de pessoas esteja ao nosso lado”.

Bolsonaro concluiu: “Temos um governo que acredita em Deus, respeita os seus militares, respeita a família e deve lealdade ao seu povo (...). O nosso trabalho fará com que o Brasil, cada vez mais, além de ser respeitado diante do mundo, seja a garantia de um povo que vive em paz e harmonia”.

A ditadura da toga segue firme. O Brasil tem hoje presos políticos e jornais, parlamentares e influenciadores censurados. A Folha Política tem toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com o aplauso e o respaldo do ministro Luís Roberto Barroso. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas.

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, inclusive celulares e tablets dos sócios e de seus filhos. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há quase 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...