terça-feira, 19 de abril de 2022

Bolsonaro é intensamente aplaudido ao se pronunciar na Assembleia de Deus: ‘Liberdade de religião, de expressão, direito de ir e vir’


O presidente Jair Bolsonaro discursou durante a Convenção das Assembleias de Deus, em Cuiabá, no Mato Grosso. O presidente afirmou: “O Brasil é um país fantástico. Em vários momentos de sua história, passamos por momentos difíceis, como vivemos um agora. Mas o povo brasileiro é resiliente, tem fé, acredita, e vence esses seus obstáculos”.

Bolsonaro disse: “Hoje temos uma luta do bem contra o mal. E o bem sempre venceu. Nós somos a maioria, que trabalha, que luta, que acredita e quer o melhor para o seu país e para os nossos filhos”. O presidente acrescentou: “o povo - com a liberdade que adquiriu também nas mídias sociais - hoje tem consciência da sua força e para onde ele pode conduzir o seu País”. 

O presidente elencou, entre as mudanças ocorridas em seu governo, o fato de agora o Supremo Tribunal Federal ter um ministro cristão. O presidente lembrou que os valores cristãos vêm sendo ameaçados, inclusive “liberdade de religião, liberdade de expressão, e  o inalienável direito de ir e vir”. Bolsonaro lembrou que os cidadãos é que decidem quem enviarão, por meio do voto, ao Planalto Central. 

O presidente relatou que a diretora da OCDE o visitou e explicou: “Veio pedir por mais alimentos para o mundo”. Bolsonaro disse: “O Brasil é um país fantástico. Uma de suas grandes vocações é o produto do campo. Retribuí a ela com um pedido: que não nos deixe faltar fertilizantes nem deixe subir o preço”. O presidente acrescentou: “o Brasil hoje alimenta praticamente um bilhão de pessoas no mundo e pode quase que dobrar esse valor”. Bolsonaro apontou: “isso faz com que o mundo todo volte os olhos para o nosso Brasil. Peço a Deus, mais do que sabedoria, força para resistir e coragem para decidir”. 

A Constituição Federal determina, em seu art. 5º, inciso LIV, que “ninguém será privado da liberdade ou de seus bens sem o devido processo legal”. No entanto, o ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, mandou confiscar, em decisão monocrática em inquérito administrativo, a renda de canais e sites conservadores, como de Bárbara, do canal Te Atualizei, e da Folha Política. 

A decisão do ministro, que recebeu o respaldo e o apoio de Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes, confisca toda a renda dos canais, sem qualquer distinção segundo o tipo de conteúdo, o tema, a época de publicação ou qualquer outro critério. Há mais de 9 meses, toda a renda do nosso trabalho é retida sem qualquer justificativa jurídica.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode nos ajudar a manter o jornal funcionando, doe através do QR Code que aparece na tela, ou utilizando o código Pix ajude@folhapolitica.org. Caso não use Pix, a conta da empresa Raposo Fernandes está disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo. Há 10 anos, a Folha Política vem enfrentando a espiral do silêncio imposta pelo monopólio da informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...