quarta-feira, 27 de abril de 2022

Deputado Luiz Lima menciona ‘Advogado do Diabo’ e alerta: ‘quando se exerce o cargo de ministro do STF, não se pode ter partido’


Da tribuna da Câmara, o deputado Luiz Lima fez duras críticas aos ministros do Supremo Tribunal Federal pela condenação do deputado Daniel Silveira. Luiz Lima apontou: “Eu gostaria de lembrar os Ministros do Supremo Tribunal Federal que eles não são mais advogados, não recebem apenas de um cliente, ou pelo menos não deveriam receber, mas recebem do mais simples brasileiro que paga o seu salário, assim como qualquer Deputado. Quando se exerce o cargo de Ministro do Supremo Tribunal Federal, não se pode ter partido, não se pode comportar como um partido de oposição”.

O deputado lembrou a responsabilidade da própria Câmara dos Deputados, que se curvou à Corte ao autorizar a prisão de Daniel Silveira. Lima apontou que o presidente Jair Bolsonaro respondeu ao Supremo e também à Câmara ao conceder a graça, e afirmou: “O Presidente Bolsonaro agiu conforme a Constituição e foi dada a resposta à Câmara dos Deputados. Deputados, nós fomos eleitos pelo povo, nós não fomos escolhidos apenas por uma pessoa. Precisamos mudar o sistema de escolha dos Ministros. Eles não podem ter um mandato vitalício. Eles têm que ter um mandato e têm que ter o referendo da própria população”.

Há 10 anos, a Folha Política atua noticiando fatos, discursos, argumentos e denúncias que são obliteradas pela velha imprensa. Nosso veículo de imprensa dá voz às vozes conservadoras, ao anticomunismo, à defesa dos direitos fundamentais e da liberdade de expressão e de imprensa, além de trazer ao público os vídeos dos pronunciamentos de autoridades para que o público possa formar sua própria opinião sobre o que foi dito e não precise depender de relatos de terceiros. 

Quem controla a informação controla, em última instância, a realidade. Grupos monopolísticos e cartéis que se associam com o intuito de barrar informações contrárias ou inconvenientes atuam em conluio com a finalidade de aniquilar qualquer mídia independente, eliminando o contraditório e a possibilidade de um debate público amplo, honesto, abrangendo todos os feixes e singularidades dos mais diversos espectros políticos. Controlando as informações, o cartel midiático brasileiro tenta excluir do debate e, em última instância, da vida pública, os conservadores e os veículos que dão voz a essas pessoas. 

A renda da Folha Política está sendo confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com respaldo e apoio de Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. A decisão confisca, de forma indiscriminada, todas as receitas advindas do Youtube, indicando claramente que a intenção não é a de excluir conteúdos específicos, mas sim de calar o canal e eliminar a empresa. Há mais de 9 meses, toda a nossa renda é retida, sem qualquer justificativa jurídica. 

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política vem mostrando a realidade da política brasileira e quebrando barreiras do monopólio da informação. Com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...