quinta-feira, 12 de maio de 2022

Bolsonaro desabafa e rebate Fachin, do TSE e do STF, após declaração polêmica sobre militares: ‘não fale assim das Forças Armadas’


Durante sua live semanal, o presidente Jair Bolsonaro comentou declarações do presidente do TSE, ministro Edson Fachin, que afirmou que “quem trata de eleição são as forças desarmadas”, e acrescentou: “ninguém e nada interferirá na Justiça Eleitoral”, que estaria acima de qualquer controle. O presidente disse: “não sei de onde ele está tirando esse fantasma de que as FFAA querem interferir nas eleições”. O presidente lembrou que as Forças Armadas sempre cederam seus homens para fazer o transporte e segurança das urnas nas eleições, e acrescentou: “as FFAA não estão se metendo nas eleições. Elas foram convidadas pelo ministro Barroso”. 

O presidente lembrou que, na portaria que criou a Comissão de Transparência Eleitoral, que as Forças Armadas integram, estão definidas as finalidades da comissão, que incluem o planejamento de ações, o acompanhamento e fiscalização de todas as fases do desenvolvimento do processo eleitoral, assim como auditoria. Bolsonaro disse: “Então, ministro Fachin, a gente não entende essa sua maneira de falar das FFAA”. 

O presidente explicou que Fachin é livre para revogar a portaria se quiser, e que, enquanto ela estiver em vigor, as Forças Armadas continuarão participando e cumprindo sua missão. Bolsonaro apontou que ninguém está ameaçando a democracia, nem incorrendo em “atos antidemocráticos”. O presidente criticou a forma pela qual Fachin se referiu às Forças Armadas e pediu: “agora, por favor, não fale assim das Forças Armadas”. 

Nos últimos dias, diversos parlamentares denunciaram atos relacionados à campanha antecipada do ex-presidente Lula, como o pedido de votos feito pela cantora Daniela Mercury durante um showmício, que seria pago com dinheiro público dos contribuintes de São Paulo, e o pedido de votos feito pelo próprio ex-presidente em outro evento. Não há notícia de que a Justiça Eleitoral já tenha apreciado essas denúncias. 

A Justiça Eleitoral, entretanto, é bem ativa para “fiscalizar” cidadãos que apoiem o presidente Jair Bolsonaro ou mesmo noticiem ações do chefe de Estado. Em uma decisão monocrática em um inquérito administrativo, o ex-corregedor do TSE, Luis Felipe Salomão, mandou confiscar a renda de jornais, sites e canais conservadores, entre os quais a Folha Política, para impedir suas atividades. A decisão, que vem sendo mantida pelo atual corregedor, Mauro Campbell Marques, confisca todos os rendimentos de pessoas e empresas obtidos pela monetização de vídeos do youtube. Há mais de 10 meses, todos os nossos rendimentos são retidos sem base legal. O confisco não obedece a qualquer critério relativo aos temas abordados, evidenciando que trata-se de censura direcionada a pessoas e empresas específicas. 

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, a mando do ministro Alexandre de Moraes. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...