terça-feira, 14 de junho de 2022

Bolsonaro alfineta Fachin e Moraes ao recomendar vídeo de delação: ‘Antes que o dono da verdade faça desaparecer’


O presidente Jair Bolsonaro discursou durante a abertura do Fórum de Investimentos Brasil 2022 (FIB 22), o maior evento de investimentos estrangeiros da América Latina. Bolsonaro falou sobre a importância da economia e enfatizou que a economia não pode ser dissociada da política, em especial quando há um plano em andamento para a tomada do poder. 

O presidente exemplificou com outros países da América Latina, mencionando que a população da Venezuela, país com as maiores reservas de petróleo do mundo, está fugindo para Roraima. Bolsonaro disse: “é a política interferindo pelo lado negativo”.

O presidente apontou que, em eleições, é necessário escolher entre as opções que se apresentam, e pediu que os empresários comparem seu governo com os anteriores. Ao falar sobre os ministros anteriores, o presidente mencionou vídeos com denúncias e pediu: “vejam antes que um cara faça desaparecer (...) é o dono da verdade e o dono da nossa liberdade. Parece que esse é o destino dele”. O presidente lembrou que o próprio presidente do STF reconheceu que “a roubalheira existiu”. 

Bolsonaro alertou sobre movimentações que se observam, não apenas no Brasil, mas também em outros países. Ele apontou que, enquanto no Brasil uma autoridade assume poderes acima da lei, em outros países também se veem “coisas esquisitas”. Bolsonaro lembrou que todas as ditaduras foram precedidas de desarmamento da população. 

O presidente comparou seu governo com os anteriores, enfatizando os investimentos feitos com o dinheiro que anteriormente era roubado ou mal utilizado. O presidente lembrou ainda avanços que foram conquistados, entre eles a retomada de direitos como o armamento da população. Ele apontou que, com a posse estendida da arma de fogo, fazendeiros que sejam também CACs podem utilizar armas como fuzis, e comparou: “onde o Fachin diz que a polícia não pode entrar, tá cheio de fuzil”. O presidente disse: ‘virou lá o refúgio da bandidagem do Brasil todo. Parabéns, ministro Fachin! Tremenda cooperação com a bandidagem e o narcotráfico”. Em seguida, perguntou por que não deveria questionar decisões dos ministros do Supremo Tribunal Federal. 

Bolsonaro lembrou que os ministros pretendiam aprovar, neste mês, o marco temporal para demarcação de terras indígenas, o que equivaleria a entregar a eles o poder sobre o país. O presidente lembrou outros atos de ministros do Supremo, e questionou: ”É justo o ministro Fachin, que tirou o Lula da cadeia, estar à frente do processo eleitoral?”. Lembrou ainda a interferência do ministro Barroso na Câmara dos Deputados, e perguntou: “se fazem tudo isso, vocês querem mais sinais do que pode acontecer no Brasil?”.

O presidente disse: “O Brasil é um país fantástico. Ninguém tem o que nós temos. O que falta para nós? É tratar a política com responsabilidade. Não adianta você estar bem se o Brasil estiver pegando fogo”. O presidente acrescentou que a economia não pode ser dissociada da política e afirmou: “eu acredito que Deus botou a mão sobre o Brasil. Nos deu a chance de abrir os olhos e falar o que nós queremos”. O presidente lembrou a necessidade de tomar consciência de que todos precisam “jogar dentro das 4 linhas”. E apontou: “o outro lado, que devia dar o exemplo, faz exatamente o contrário, com ameaças”. 

A ditadura da toga segue firme. O Brasil tem hoje presos políticos e jornais, parlamentares e influenciadores censurados. A Folha Política tem toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com o aplauso e o respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas. Há mais de 11 meses, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. 

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, a mando do ministro Alexandre de Moraes. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...