quinta-feira, 16 de junho de 2022

Bolsonaro alfineta Moraes, do STF, ao apontar como EUA e Interpol não perseguem o jornalista Allan dos Santos


Durante sua live semanal, o presidente Jair Bolsonaro respondeu a narrativas espalhadas pela velha imprensa sobre sua viagem aos Estados Unidos, bem como às ações dos partidos de extrema-esquerda formuladas com base nas matérias da velha imprensa e imediatamente impulsionadas por ministros do Supremo Tribunal Federal. 

O presidente apontou que o UOL criou uma “matéria”, sem nenhuma fonte plausível, em que afirmou que Bolsonaro teria pedido ajuda ao presidente dos EUA, Joe Biden, para enfrentar Lula. O presidente classificou a narrativa como uma “irresponsabilidade por parte da mídia”, e apontou o ridículo da narrativa. 

O presidente comentou, na sequência, a ação movida por parlamentares de extrema-esquerda para que ele seja investigado por não investigar o jornalista Allan dos Santos, atualmente exilado nos Estados Unidos. Bolsonaro apontou que não encontrou o jornalista, afirmando que, se tivesse encontrado, teria apertado a mão dele. O presidente lembrou que não há ordem de prisão contra o jornalista nos Estados Unidos, pois aquele país não reconhece o “crime de opinião”. 

O presidente explicou que há regras nos tratados de extradição, e que nenhum país extraditaria alguém com base em uma ordem exarada em um processo em que a mesma pessoa denuncia e julga. O presidente reiterou: “se tivesse visto o Allan dos Santos, teria apertado a mão dele e ponto final”. Bolsonaro ainda fez um alerta, lembrando que, embora a Constituição preveja a inviolabilidade dos parlamentares por opiniões, palavras e votos, o ministro Alexandre de Moraes só reconhece a inviolabilidade por votos. Bolsonaro acrescentou: “por enquanto”. 

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e pessoas que apenas têm um discurso diferente do imposto pelo cartel midiático vêm sendo perseguidos, em especial pelo Judiciário. Além dos inquéritos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, também o ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, criou seu próprio inquérito administrativo, e ordenou o confisco da renda de sites e canais conservadores, como Bárbara, do canal Te Atualizei, e a Folha Política. Toda a receita gerada pelo nosso jornal desde 1º de julho de 2021 está bloqueada por ordem do TSE, com aplauso dos ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. Há mais de 11 meses, toda a renda do nosso trabalho vem sendo retida, sem qualquer previsão legal. 

Sem a possibilidade de receber a renda de seu trabalho, o jornal corre o risco de fechar. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar, use o QR Code que está visível na tela para doar qualquer quantia, ou use o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política faz a cobertura da política brasileira, mostrando atos, pronunciamentos e eventos dos três poderes, quebrando a espiral do silêncio imposta pelo cartel de mídia que quer o monopólio da informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...