quinta-feira, 23 de junho de 2022

Bolsonaro elogia desembargador que libertou ex-ministro, aborda possível perseguição política e ironiza decisão de juiz


Durante sua live semanal, o presidente Jair Bolsonaro comentou a liminar concedida pelo desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, que libertou o ex-ministro Milton Ribeiro e os outros pastores. O presidente disse: “falei lá atrás que eu botava a cara no fogo pelo Milton. Eu exagerei. Mas eu boto a mão no fogo por ele”. 

O presidente apontou que as investigações foram iniciadas a pedido do próprio Milton Ribeiro, que levou o caso à Controladoria-Geral da União. Em seguida, com a investigação da Polícia Federal, o juiz da primeira instância achou por bem decretar a prisão preventiva. Bolsonaro lembrou que é o mesmo juiz que, por diversas vezes, deu decisões que afetavam a ele e a seu governo, com fundamentação no mínimo questionável. O presidente apontou ainda que, quando o processo foi finalmente disponibilizado, soube-se que o Ministério Público Federal se manifestou contra a prisão, mas o juiz a decretou assim mesmo. 

Bolsonaro ironizou o caso, dizendo que o juiz escolheu a prisão preventiva porque assim poderia manter o ex-ministro preso, no mínimo, até a eleição. Ele apontou ainda que a prisão conseguiu seu objetivo de desgastar o governo e afetar a imagem do presidente. 

O ataque a cidadãos e empresas privadas, desrespeitando direitos e garantias fundamentais, tem se tornado cada vez mais comum, em especial nas altas cortes do País. Sem justificativa jurídica, o ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, decidiu confiscar a renda de sites e canais conservadores, para destruir empresas privadas das quais discorda. A decisão, que incluiu a Folha Política, confisca todos os rendimentos da empresa, e teve o apoio e aplauso dos ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. Há mais de 11 meses, toda a renda do nosso trabalho é retida sem qualquer justificativa jurídica. “Marcar” pessoas e fechar empresas por motivações políticas são atitudes que já foram observadas na História, mas nunca em democracias. 

Se você apoia a Folha Política e pode ajudar a evitar que a empresa seja fechada por falta de recursos para manter seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe qualquer valor através do Pix, utilizando o QR Code visível na tela ou o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política vem enfrentando a espiral do silêncio imposta pelo cartel midiático que quer controlar a informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...