sexta-feira, 3 de junho de 2022

Bolsonaro garante que 'não decepcionará' e é aclamado ao enfrentar 'nova classe de ladrão': 'aqueles que querem roubar nossa liberdade'


O presidente Jair Bolsonaro discursou para uma multidão eufórica em Umuarama, no Paraná, em cerimônia pela entrega de trecho da Estrada Boiadeira (BR-487). O presidente afirmou que o povo vem desenvolvendo consciência política e falou da importância do voto e do respeito ao voto. Bolsonaro disse: “eu não tive 58 milhões de votos, eu tive 58 milhões de pessoas que acreditaram em mim. Voto não é mercadoria, é responsabilidade. A cada um de vocês, eu tenho a obrigação de, cada vez mais, fazer com que acreditem no nosso governo”. 

O presidente apontou que o mundo todo passa por dificuldades decorrentes das políticas de “fique em casa” e da guerra da Ucrânia. Ele afirmou que o Brasil, além dos problemas econômicos, tem também problemas internos. Bolsonaro disse: “temos uma nova classe de ladrão, que são aqueles que querem roubar a nossa liberdade. Eu peço que vocês se interessem por esse assunto. Se precisar, iremos à guerra. Mas eu quero o povo ao meu lado, consciente do que está fazendo e por quem está lutando”. O presidente disse que não quer, daqui a alguns anos, olhar para trás e pensar no que deixou de fazer. O presidente alertou: “todos nós temos que nos informar e se preparar, porque não podemos deixar que o Brasil siga o caminho de outros países aqui da América do Sul”.

O presidente disse que há muitos países interessados nas riquezas do Brasil, que garante segurança alimentar a uma boa parte do mundo, e enfatizou a importância de desenvolver tecnologia e agregar valor aos produtos produzidos no País. Bolsonaro disse ainda que defende os direitos fundamentais. Ele relatou: “Além da liberdade de expressão, defendemos o direito de ir e vir de cada um de vocês”. O presidente lembrou a graça concedida ao deputado Daniel Silveira e disse: “a liberdade de expressão, ou nós temos ou não temos”.

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e pessoas que apenas têm um discurso diferente do imposto pelo cartel midiático vêm sendo perseguidos, em especial pelo Judiciário. Além dos inquéritos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, também o ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, criou seu próprio inquérito administrativo, e ordenou o confisco da renda de sites e canais conservadores, como Bárbara, do canal Te Atualizei, e a Folha Política. Toda a receita gerada pelo nosso jornal desde 1º de julho de 2021 está bloqueada por ordem do TSE, com aplauso dos ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. Há mais de 11 meses, toda a renda do nosso trabalho vem sendo retida, sem qualquer previsão legal. 

Sem a possibilidade de receber a renda de seu trabalho, o jornal corre o risco de fechar. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar, use o QR Code que está visível na tela para doar qualquer quantia, ou use o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política faz a cobertura da política brasileira, mostrando atos, pronunciamentos e eventos dos três poderes, quebrando a espiral do silêncio imposta pelo cartel de mídia que quer o monopólio da informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...