segunda-feira, 20 de junho de 2022

Deputados, militares e jornalistas se pronunciam e fazem alerta após eleição de ex-guerrilheiro para a Presidência na Colômbia


A eleição de Gusavo Petro na Colômbia gerou comentários nas redes sociais do Brasil, com uma série de alertas sobre o avanço do Foro de São Paulo nas Américas. 

O assessor especial da presidência, Filipe G. Martins, disse: “Diante do avanço da extrema-esquerda na América Latina, com sucessivas vitórias de candidatos do Foro de São Paulo, nossa responsabilidade como brasileiros se torna ainda maior. Que Deus tenha misericórdia de nós e nos dê condições de proteger nosso país e nosso povo!”

A deputada federal Carla Zambelli lamentou: “Pobre Colômbia… Foro de São Paulo deve estar em festa novamente, para o lamento do povo, que sofrerá as consequências da abstenção nas eleições. Teremos uma nova Venezuela na América Latina para acompanhar a Argentina”.

O escritor Bernardo Pires Küster alertou: “Em outubro, nas eleições, no Brasil estará patente uma encruzilhada: colaborar com o Foro de São Paulo ou continuar a construir uma nação independente para os brasileiros. Todo o sistema virá ainda mais pesado contra nós. Prepare-se. Estude, organize-se e reze. Mais um país caiu nas garras do Foro de São Paulo. O ex-guerrilheiro do grupo M-19, Gustavo Petro, foi eleito presidente da Colômbia nas eleições deste domingo. O comunista teve 50,49% dos votos. Que em outubro de 2022 Deus nos livre de cair nas garras do demônio vermelho”.

O Coronel Américo Massaki Higuti disse: “Com a vitória do ex-guerrilheiro Gustavo Petro, temos que lutar para que o Brasil não se transforme no centro do Foro de São Paulo. Vamos, juntos, salvar a nossa Nação da ideologia comunista. O dinheiro dos sequestros de Washington Olivetto, Luiz Sales, Geraldo Alonso e Abílio Diniz iria para organizações como as FARC e o MIR chileno, dos quais os membros já participaram de reuniões do Foro de São Paulo. A verdade está apenas começando e o cheiro não é bom”.

O deputado federal Delegado Éder Mauro pediu: “Que Deus tenha misericórdia da Colômbia! Bolsonaro é o último bastião capaz de barrar avanço do comunismo, através do Foro de São Paulo, na América Latina. Argentinos já pagam o preço por permitirem o retorno da esquerda ao poder.  No Chile, a desgraça veio em três meses. Infelizmente tarde demais pra livrar o país da agenda progressista”.

O deputado federal Daniel Silveira apontou: "Sempre deixei bem claro desde o início do nosso mandato, que o Foro de São Paulo, hoje Grupo de Puebla, através da perversa agenda de governança global, retomaria o poder em toda a América Latina. E você? Até quando viverá lobotomizado pela mídia corporativa?"

O deputado estadual paulista Tenente Nascimento analisou: “O ex-guerrilheiro Gustavo Petro foi eleito presidente da Colômbia. Os isentões anularam o voto e colocou a esquerda no poder. Isso pode ser uma boa lição ao Brasil, que é a última grande barreira contra o comunismo. Que Deus dê juízo e tenha misericórdia de nossa nação”.

O deputado federal Luiz Philippe de Orleans e Bragança avaliou: “Colômbia confirma socialista que “comandava” narco-terror na presidência do país. Já sabemos o que vai acontecer. A dúvida é se será tão rápido como no Chile, previsível como na Argentina ou irremediável quanto na Venezuela”.

Marco Feliciano, pastor evangélico e deputado federal, comentou: “A Colômbia elegeu ontem um ex-guerrilheiro como presidente. Espero que aqui no Brasil tenhamos juízo para não eleger um ex-presidiário. Até mesmo porque tudo indica que ele não é um ex-ladrão. Em seu primeiro discurso como presidente eleito, o ex-guerrilheiro Gustavo Petro já requereu a soltura de presos. Imagine depois de assumir… Pobre Colômbia!”.

Fabricio Rebelo, jurista e pesquisador em Segurança Pública, apontou: “As eleições colombianas mostram o risco de se abster do processo eleitoral. A diferença entre os candidatos foi pequena, enquanto 16 milhões de eleitores não votaram (mais do que os votos do eleito). A Colômbia se curva ao esquerdismo, rumando o continente para a "URSS do Sul. Aos mais emocionados (...), vale lembrar que na Colômbia o voto NÃO é obrigatório. O país tem forte histórico de abstenções e esta eleição teve participação considerada alta. Ainda assim, 41% dos eleitores não foram votar”.

O jornalista Jorge Serrão disse: “A vitória de Gustavo Petro na eleição presidencial colombiana é um indicativo de que, dificilmente, grupos paramilitares e guerrilheiros vão depor suas armas. O narconegócio seguirá forte com o apoio do "Grupo de Puebla" (novo nome do esclerosado Foro de São Paulo).

O vereador Dylan Dantas alertou: “Foro de São Paulo vence na Colômbia, que agora se junta aos países de extrema-esquerda como México, Argentina, Venezuela, Cuba, Nicarágua, etc. O Brasil é a única e última resistência contra a implantação do comunismo na América Latina. A liberdade está em risco iminente!”.

O deputado federal Junio Amaral comparou: “O “ex-guerrilheiro”, que agora é presidente da Colômbia, pediu para que criminosos presos em seu país fossem libertos. No Brasil, o outro da laia desse daí, confessou que atuou para liberar 10 sequestradores da cadeia”.

O investidor Leandro Ruschel disse: “O terror** de extrema-esquerda foi eleito na Colômbia porque os isentões tiveram nojinho do candidato de direita que disputava o segundo turno e não foram votar. É o mesmo pessoal que pode eleger o ex-preso no Brasil”.

Jorge Seif Junior, ex-secretário de Aquicultura e Pesca, explicou: “Um ex-presidiário foi eleito presidente da Colômbia. E você sabe por que?  Por abstenções de votos, 44% dos colombianos não votaram e entregaram o país de bandeira para os comunistas.  Abstenções: 16.397.678 votos. Gustavo Petro (eleito): 11.263.196 votos”

A jornalista Fernanda Salles apontou: “A extrema-esquerda e o Foro de São Paulo já estão avançando brutalmente no Brasil e impondo suas pautas ideológicas através do judiciário (...). A ameaça não é futura, ela já é realidade”.

O internauta Cristiano Xavier disse: “Hoje, não conhecer o tamanho, poder e gravidade do Foro de São Paulo, especialmente a quem é político, é inadmissível. E com todos os alertas que o próprio Olavo vem dando há mais de duas décadas, é inadmissível a Direita desde 2019 ter feito nada contra”.

Sérgio Camargo, Ex-presidente da Fundação Cultural Palmares, afirmou: “Colômbia elege presidente de extrema esquerda. Praticamente só restamos nós. É Jair ou já era!”

A cidadã Elainne Faria declarou: “A abstenção colocou a Colômbia nas mãos do Foro de São Paulo”.

O cientista político Silvio Grimaldo disse: “Com a queda da Colômbia nas mãos da extrema-esquerda guerrilheira e do Foro de São Paulo, o Brasil agora está praticamente sozinho na luta contra o narco-comunismo na América Latina. Que Bolsonaro tenha noção da responsabilidade de sua missão e que Deus o oriente e proteja!”

O perfil Raquel Fantasy disse: “O Foro de São Paulo está com os tentáculos por toda a América Latina. A única salvaguarda é o Brasil. Em outubro não podemos entregar nosso país a esta gang. É Jair ou já era”.

O economista Lívio Oliveira advertiu: “O Foro de São Paulo conseguiu capturar mais um país. A Colômbia foi a vítima desta vez. O ex-guerrilheiro de extrema esquerda venceu a eleição. Que Deus tenha misericórdia dos colombianos. Mais uma nação a caminho da venezuelização”.

O advogado Fábio Talhari pontuou: “Se não impedirmos a ascensão do Foro de São Paulo aqui, o quadro não será muito diferente”.

O perfil Mita Guimarães desabafou: “O BRASIL, que sonha com LIBERDADE, ORDEM E PROGRESSO, está tendo a OPORTUNIDADE de assistir um DOCUMENTÁRIO do que está ocorrendo no mundo, em tempo real ! Não consigo acreditar que seremos TÃO BURROS de entregar nosso país ao comunismo do Foro de São Paulo!”.

A economista Renata Barreto descreveu: “A Colombia elegeu um ex-guerrilheiro de extrema-esquerda, que em seu primeiro discurso como Presidente disse que é preciso “soltar os bandidos”. Nas eleições houve 41% de abstenções, ou seja 41% da população não foi votar!!! De se pensar…”.

O comunicador Ed Raposo alertou: “Presidente eleito da Colômbia diz em seu primeiro discurso que quer soltar presos. Lula diz que intercedeu pra soltar sequestradores. O objetivo da esquerda é governar de mãos dadas com o crime organizado, só cego não vê. Outubro será literalmente o bem contra o mal”.

Giovane Dalcol lamentou: “A Colômbia aprenderá da pior forma que o silêncio da abstenção prejudicará seus filhos e netos em proporções inimagináveis”.

A renda deste vídeo e de todos os outros da Folha Política está sendo confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, com respaldo e apoio de Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. O ministro Salomão decidiu, de forma monocrática e em um inquérito administrativo, confiscar toda a renda da empresa, a pretexto de impedir a divulgação de discursos que não lhe agradam. Sem a renda, a empresa em breve não poderá mais manter sua estrutura em funcionamento, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores.  Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org.  Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo. Há 10 anos, a Folha Política vem mostrando a realidade da política brasileira e quebrando barreiras do monopólio da informação. Com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...