quarta-feira, 27 de julho de 2022

Bolsonaro é intensamente aplaudido após detonar CPI em pronunciamento no Conselho Federal de Medicina: ‘Liberdade!’


O presidente Jair Bolsonaro fez um breve discurso durante uma reunião com o Conselho Federal de Medicina. Ao concluir, o presidente lembrou que a liberdade é mais importante do que a própria vida, e afirmou: “sei que os senhores trabalham com vidas, mas mais importante é a nossa liberdade. Não adianta estarmos sãos, muito bem de vida, se não tivermos liberdade”. O presidente acrescentou: “seremos julgados, no último dia, por aquilo que nós fizemos aqui na Terra, bem como por aquilo que poderíamos fazer e não fizemos. A omissão é tão grave quanto uma ação”.

Durante o discurso, o presidente ironizou a CPI da pandemia, também conhecida como “CPI do circo”, apontando que “pessoas honestíssimas” o acusaram. Ele explicou que o comando da CPI queria a aprovação de uma emenda para permitir que prefeitos e governadores comprassem vacinas de qualquer lugar do mundo, sem certificação da Anvisa e sem licitação. Bolsonaro disse: “Como não aceitamos isso aí, me acusaram no final”. 

O presidente também relembrou o ex-ministro Mandetta, que queria aprovar um projeto de lei para permitir que qualquer faculdade particular de medicina aplicasse o Revalida. O presidente lembrou que, ouvindo médicos, decidiu vetar o dispositivo, e relatou: “o Mandetta foi pra dentro do parlamento e trabalhou para derrubar o veto. Faltaram 5 votos para derrubar o veto. O que ele ganhou com isso foi um cartão vermelho”. Bolsonaro acrescentou: “não sei o que ele teria negociado para porventura resolver aquela questão”.

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e pessoas que apenas têm um discurso diferente do imposto pelo cartel midiático vêm sendo perseguidos, em especial pelo Judiciário. Além dos inquéritos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, também o ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, criou seu próprio inquérito administrativo, e ordenou o confisco da renda de sites e canais conservadores, como Bárbara, do canal Te Atualizei, e a Folha Política. Toda a receita gerada pelo nosso jornal desde 1º de julho de 2021 está bloqueada por ordem do TSE, com aplauso dos ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. Há mais de 1 ano, toda a renda do nosso trabalho vem sendo retida, sem qualquer previsão legal. 

Sem a possibilidade de receber a renda de seu trabalho, o jornal corre o risco de fechar. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar, use o QR Code que está visível na tela para doar qualquer quantia, ou use o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política faz a cobertura da política brasileira, mostrando atos, pronunciamentos e eventos dos três poderes, quebrando a espiral do silêncio imposta pelo cartel de mídia que quer o monopólio da informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...