sexta-feira, 22 de julho de 2022

Bolsonaro e ministro Sachsida rebatem jornalistas e se pronunciam ao conferirem redução dos preços em posto de combustíveis em Brasília


O presidente Jair Bolsonaro, acompanhado do ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida,  fez uma visita a um posto de gasolina em Brasília, para verificar a queda dos preços para o consumidor. Sachsida informou que a gasolina e o diesel vão baixar mais 10 centavos, e disse: “os caminhoneiros agradecem, mas não só os caminhoneiros, todos os brasileiros. É uma guerra. E a gente tem que tomar medidas para abaixar o preço do combustível”. 

O ministro explicou que a prorrogação determinada hoje “tem o potencial de reduzir até mais 10 centavos na gasolina e no diesel”. Ele acrescentou: “a Petrobras já anunciou redução de 20 centavos, com mais 10 da nossa medida, chega a 30 centavos”. O ministro explicou que trata-se de medidas emergenciais tomadas em virtude da situação econômica mundial, afetada pela guerra. 

O presidente Jair Bolsonaro explicou que o preço do etanol caiu graças a medidas tomadas pelo governo federal, que promoveram a concorrência. O presidente lembrou ainda que as usinas eram obrigadas a vender para distribuidoras, criando o “etanol turista”, e que agora, “a usina pode vender diretamente ao posto, sem distribuidora”, diminuindo o preço ao consumidor. O presidente também apontou que alguns estados ainda não estão baixando o ICMS, mas o governo federal está fazendo sua parte. 

Os repórteres questionaram o presidente sobre a importação de diesel da Rússia, e o ministro Sachsida explicou que, com a ajuda do Ministério das Relações Exteriores, o Brasil está contactando todos os países que não possuem sanções internacionais para comprar diesel. Bolsonaro disse: “é a nova política que a gente está implementando. Não é fácil mexer com um lobby tão poderoso como é o dos combustíveis no mundo todo”. 

Questionado sobre sua conversa com o presidente da Ucrânia, Bolsonaro relatou que Zelensky o abordou em um tom bastante emocional e ponderou: “a gente sabe que, nesse conflito, o mundo todo sofre. Colocando um ponto final nele, cai o  preço do petróleo Brent, todo o mundo é beneficiado”. O presidente relatou que conversa com vários chefes de estado, e que a solução tem que ser atingida no âmbito da OTAN. 

A ditadura da toga segue firme. O Brasil tem hoje presos políticos e jornais, parlamentares e influenciadores censurados. A Folha Política tem toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com o aplauso e o respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas. Há mais de um ano, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. 

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, a mando do ministro Alexandre de Moraes. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...