sábado, 16 de julho de 2022

Bolsonaro expõe declarações ameaçadoras de Lula contra pastores, Forças Armadas, a favor do MST e alerta: ‘Temos que resistir’


Durante culto da Assembleia de Deus em Natal, no Rio Grande do Norte, o presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento, quando alertou os fiéis sobre a importância de suas escolhas, em especial na política. O presidente rebateu narrativas da extrema-esquerda, pedindo atenção para as mentiras que são contadas e que podem ser desmentidas olhando a obra pregressa dessas pessoas enquanto estiveram no poder. 

O presidente ironizou as acusações relativas ao seu discurso, e comparou com os fatos. O presidente mostrou que, embora seja acusado até por brigas fúteis, seu governo vem tendo sucesso em diminuir acentuadamente os crimes violentos. Ele questionou: “quem está mentindo para chegar ao poder?”. 

O presidente alertou: “em chegando ao poder, ele impõe a sua linha. Quem falou há pouco tempo que vai colocar os pastores nos seus devidos lugares? que vai fazer o mesmo com as Forças Armadas? Que vai valorizar o MST? Que vai continuar mandando recursos do BNDES para outros países?”. O presidente lembrou escândalos dos governos petistas e seus efeitos maléficos para toda a sociedade. 

Bolsonaro lembrou que o Brasil é um país muito rico, e questionou: “por que não somos um grande país?”, e respondeu: “por causa de nossas escolhas”. Ele disse: “Passamos por momentos difíceis? Sim. Mas temos que resistir. Quem nunca passou por momentos difíceis dentro de sua casa?”. O presidente disse: “A mensagem que eu dou a vocês; acreditem na sua pátria. Nosso governo nunca ousou falar em fechar igrejas”. Bolsonaro admitiu: “vocês sentiram na pele um gostinho da ditadura, entre 2020 e 2021”. 

O presidente disse: “nós somos a maioria, nós somos do bem. Nós vamos fazer boas escolhas, de forma estudada e consciente, estudando a vida pregressa dessas pessoas, vendo quem está do seu lado. E assim, podemos acreditar que deixaremos, lá na frente, um país melhor para nossos filhos e nossos netos”.

 A ditadura da toga segue firme. O Brasil tem hoje presos políticos e jornais, parlamentares e influenciadores censurados. A Folha Política tem toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com o aplauso e o respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas. Há mais de um ano, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. 

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, a mando do ministro Alexandre de Moraes. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...