segunda-feira, 18 de julho de 2022

Bolsonaro expõe vídeo de Moraes e denuncia tirania do STF internacionalmente


Durante apresentação a embaixadores de dezenas de países, o presidente Jair Bolsonaro denunciou as constantes interferências de ministros do Supremo Tribunal Federal em seu governo, bem como as arbitrariedades cometidas pelo ministro Alexandre de Moraes nos inquéritos políticos que conduz. 

O presidente mencionou matéria que relatava que o ministro pretende prender quem “disseminar fake news” e questionou: “O que é fake news?”. Ele explicou: “É o que eles acham que é fake news”. O presidente lembrou um episódio em que apresentou uma matéria da velha imprensa e relatou: “ele achou que aquilo é fake news e está me processando. Eu não sei onde ele acha que pode parar”. 

Bolsonaro disse: “Nós queremos a paz, a tranquilidade, o respeito que não tem da outra parte para conosco. Eu não sei o que faz uma pessoa agir dessa maneira. Quem escolhe as pessoas para dizer se é fake news ou não é o próprio TSE, que desmonetiza páginas, que derruba outras, que sugere prisões, que cassa parlamentar por coisas que não têm tipificação na lei - como cassaram um deputado por “fake news” - que cria jurisprudência de interesse deles mesmos, para prejudicar nosso lado”.

O presidente apresentou um vídeo de um voto do ministro Alexandre de Moraes, em que o ministro ameaça cassar registros de candidaturas e prender pessoas por “atentar contra as eleições e a democracia”. Bolsonaro disse: “Não pode um magistrado ameaçar quem quer que seja”. O presidente mostrou que o ministro faz acusações sem provas e questionou: “o que ele quer com isso? Para quê acirrar os ânimos entre o poder Judiciário e o poder Executivo?”. Bolsonaro acrescentou: “Não é comportamento de um magistrado a ameaça”.

O presidente relatou ainda as interferências em seu governo. Ele disse: “As ações contra o nosso governo são inúmeras. Eu recebo uma interferência por semana no meu governo. Ou se dá prazo de 48 horas para explicar por que fiz isso ou não fiz aquilo, e ajuizado por parlamentares da extrema-esquerda, tentando o tempo todo desestabilizar o governo”.

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e pessoas que apenas têm um discurso diferente do imposto pelo cartel midiático vêm sendo perseguidos, em especial pelo Judiciário. Além dos inquéritos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, também o ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, criou seu próprio inquérito administrativo, e ordenou o confisco da renda de sites e canais conservadores, como Bárbara, do canal Te Atualizei, e a Folha Política. Toda a receita gerada pelo nosso jornal desde 1º de julho de 2021 está bloqueada por ordem do TSE, com aplauso dos ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. Há mais de 1 ano, toda a renda do nosso trabalho vem sendo retida, sem qualquer previsão legal. 

Sem a possibilidade de receber a renda de seu trabalho, o jornal corre o risco de fechar. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar, use o QR Code que está visível na tela para doar qualquer quantia, ou use o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política faz a cobertura da política brasileira, mostrando atos, pronunciamentos e eventos dos três poderes, quebrando a espiral do silêncio imposta pelo cartel de mídia que quer o monopólio da informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...