quinta-feira, 14 de julho de 2022

Bolsonaro faz alerta em pronunciamento para multidão de missionárias: ‘Não podemos voltar ao que era antes. Todos nós pagaremos um preço muito alto’


O presidente Jair Bolsonaro se pronunciou durante um congresso de Missionárias em Vitória do Mearim, no Maranhão. Bolsonaro apontou que, entre políticos, é comum mentir para a população, mas ele sempre preferiu falar a verdade. O presidente disse: “às vezes a verdade nos afasta do eleitor, mas ela é necessária”. Bolsonaro lembrou as passagens bíblicas que o guiaram em seu mandato, afirmando acreditar que, antes, o povo não tinha conhecimento suficiente sobre a política no Brasil. 

O presidente lembrou que indicou um pastor evangélico para o Supremo Tribunal Federal, falando sobre a importância das pautas conservadoras. Bolsonaro lembrou que o presidente eleito neste ano indicará mais dois ministros para a Corte já no início do mandato, e disse: “A gente vai mudando, com paciência, com perseverança, a gente vai buscando atingir o nosso objetivo”. 

O presidente pediu às cidadãs que façam comparações, seja entre famílias, governos ou países, e que notem a diferença de seu governo com os anteriores. O presidente mencionou a conclusão da transposição do Rio São Francisco, o auxílio emergencial, o auxílio Brasil, e a titulação de terras, enfatizando que os títulos são entregues às mulheres. O presidente pediu: “não podemos voltar ao que era antes”, acrescentando: “todos nós pagaremos um preço muito alto por isso”. 

No Brasil, a pretexto de combater a pandemia, até mesmo igrejas foram fechadas, e liberdades foram restringidas, em um dos sinais de que os cidadãos não vivem em uma democracia. Para um grupo de pessoas e empresas, a tirania ganha contornos de implacável perseguição política e ideológica, e esse grupo “marcado” vem sendo perseguido com medidas arbitrárias, como prisões políticas, buscas e apreensões, censura, bloqueio de redes sociais e confiscos. 

A Folha Política, que já teve todos os seus equipamentos apreendidos a mando de Alexandre de Moraes, atualmente tem toda a sua renda confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, em decisão aplaudida pelos ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. Segundo a velha imprensa, que participa ativamente dos inquéritos, a intenção é impedir o funcionamento da empresa, privando-a de sua fonte de renda. Há mais de um ano, todos os nossos rendimentos são retidos sem qualquer base legal. 

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a impedir o fechamento do jornal, doe qualquer valor pelo Pix, usando o QR Code que está visível na tela, ou o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política vem enfrentando a espiral do silêncio imposta pelo cartel midiático e trazendo os fatos da política brasileira. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...