domingo, 17 de julho de 2022

Bolsonaro relata volta à ‘cena do crime’ em Juiz de Fora, rebate distorções quanto ao cartão corporativo e aponta retomada do patriotismo no Brasil


No decorrer de transmissão ao vivo, o presidente Jair Bolsonaro relatou o retorno a Juiz de Fora, onde sofreu um ataque em 2018, salientou a retomada do patriotismo no Brasil e explicitou como, dando liberdade a seus ministros e selecionando pessoas competentes, conseguiu que o país enfrentasse a pandemia, a situação de guerra e a seca, sendo um dos poucos países cujo PIB cresceu, neste ano, no mundo.

O chefe de Estado ressaltou: “Estamos vendo a retomada do patriotismo no Brasil (...). Quase três anos depois, voltei à cena do crime da esquerda. Agradeci aos médicos, às pessoas da área de saúde. É uma coisa que marcou a gente. A Santa Casa entrou para a História do Brasil, pois eu me elegi presidente. Somos um dos poucos países do mundo com PIB positivo, alguns falam que talvez seja o único. Queremos mais países, não queremos países pobres ao nosso lado. O que é muito importante? A liberdade que dei para os ministros trabalharem. O Brasil deu certo. Em 2014 e 2015, vejam a crise que tivemos nesses dois anos. Quem era a presidente? Perdeu-se 3 milhões de empregos no Brasil. A crise foi a crise da corrupção”.

Ademais, Bolsonaro comparou: “Com pandemia, seca, uma crise enorme, criou-se mais de 3 milhões de empregos. A iniciativa privada que cria, mas demos condições. Tiramos o Estado de cima do empreendedor (...).. Antes, um fiscal chegava na sua empresa e, só no banheiro, tinha quarenta e poucos itens para ele multar. A maioria dos fiscais é consciente, mas tem alguns espíritos de porco. Eles falavam: só no banheiro, tem vinte e poucos mil para multar. Vamos conversar”.

O mandatário retrucou, outrossim, críticas feitas a Paulo Guedes, ministro da Economia, e distorções no que concerne ao cartão corporativo: “Paulo Guedes garantiu que a economia iria voltar em ‘V’ e voltou. Falavam que a situação do emprego só voltaria à situação da pandemia em 2023. Já voltou e muito melhor. O papel do governo é de não criar dificuldades para vender facilidades. Pelo que batem em mim? Cartão corporativo. É para viagem, despesas com segurança. Não tenho como sair por aí sem segurança e, mesmo assim, corro riscos. Faço o pernoite em quartéis. Gasto, em média, R$80,00 o pernoite. Em Imperatriz, foi zero, no 50º BIS. Grande parte da segurança dorme nos quartéis, também. Tenho três cartões corporativos, para essas despesas e o particular. Poderia gastar R$25 mil por mês em tubaína. Nunca saquei um centavo desse cartão”.

A ditadura da toga segue firme. O Brasil tem hoje presos políticos e jornais, parlamentares e influenciadores censurados. A Folha Política tem toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com o aplauso e o respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas. Há mais de um ano, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. 

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, a mando do ministro Alexandre de Moraes. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...