quinta-feira, 7 de julho de 2022

Deputada Bia Kicis pede esclarecimentos sobre evento com ministros do STF: ‘o que eles sabem que nós não sabemos?’


Da tribuna da Câmara, a deputada federal Bia Kicis relatou que pedirá esclarecimentos sobre o anúncio de uma conferência política no exterior, com a participação anunciada de vários ministros do Supremo Tribunal Federal, que tem como um de seus temas “a economia do Brasil com o novo governo”. 

A deputada disse: “Eu estranhei. Afinal de contas, já se anuncia, em 15 de novembro, um novo Governo. E eu pensei: o que será que eles sabem, os Ministros do Supremo, o recém-eleito Ministro do TSE, que nós não sabemos?”. 

Bia Kicis lembrou que há novas revelações sobre o envolvimento entre o Partido dos Trabalhadores e uma facção criminosa, e disse: “Isso é assunto de segurança nacional. Não só a participação de um candidato, de um partido criminoso como está sendo aqui mais do que revelado. Agora, essa publicação do Brazilian Conference nos dias 14 e 15 de novembro com a participação de cinco Ministros do Supremo, inclusive aquele que presidirá as eleições, já informando que o Brasil, a economia brasileira estará "sob novo Governo". A pergunta é: o que é que eles sabem que nós não sabemos? Onde está a transparência eleitoral?”.

As recentes denúncias de envolvimento do Partido dos Trabalhadores com uma facção criminosa ainda não receberam uma manifestação por parte das autoridades eleitorais. Em outras denúncias, como de pedidos explícitos de voto em showmícios pagos com dinheiro público, o ministério público eleitoral não considerou que foi demonstrado benefício a Lula, e assim não houve qualquer sanção à campanha. A formação de “brigadas digitais” com impulsionamento de mensagens por whatsapp, e a publicação de imagens manipuladas,  também ainda não mereceram atenção da Justiça Eleitoral.

A Justiça Eleitoral, entretanto, é bem ativa para “fiscalizar” cidadãos que apoiem o presidente Jair Bolsonaro ou mesmo noticiem ações do chefe de Estado. Em uma decisão monocrática em um inquérito administrativo, o ex-corregedor do TSE, Luis Felipe Salomão, mandou confiscar a renda de jornais, sites e canais conservadores, entre os quais a Folha Política, para impedir suas atividades. A decisão, que vem sendo mantida pelo atual corregedor, Mauro Campbell Marques, confisca todos os rendimentos de pessoas e empresas obtidos pela monetização de vídeos do youtube. Há mais de um ano, todos os nossos rendimentos são retidos sem base legal. O confisco não obedece a qualquer critério relativo aos temas abordados, evidenciando que trata-se de censura direcionada a pessoas e empresas específicas. Segundo a velha imprensa, a intenção do ato é impedir a atividade das empresas ao impedi-la de obter renda com seu trabalho.

A Folha Política reporta eventos da política brasileira, transmitindo e relatando atos e eventos dos três poderes. Entre os vídeos cuja renda foi confiscada e bloqueada pelo ministro Luís Felipe Salomão, estão transmissões de sessões do Senado Federal, da Câmara dos Deputados, da Presidência da República, do Supremo Tribunal Federal e do próprio Tribunal Superior Eleitoral, além de vídeos produzidos por políticos eleitos pelo povo, notícias pautadas pela documentalidade e pela publicidade e debates concernentes a temas relevantes para a democracia brasileira. Ademais, como não há delimitação temporal ou especificação de vídeos, também houve o bloqueio da renda de mais de 13 mil vídeos do canal Folha Política que foram publicados ao longo dos últimos anos.

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, a mando do ministro Alexandre de Moraes. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...