domingo, 3 de julho de 2022

Deputado José Medeiros aborda condenação de Carla Zambelli e escancara diferença explícita de tratamento entre parlamentares quanto à liberdade de expressão


Da tribuna da Câmara, o deputado federal José Medeiros apontou a clara diferença entre o tratamento concedido a parlamentares de esquerda e de direita no que concerne à liberdade de expressão e à imunidade parlamentar. O deputado disse: “O País tem menos liberdade de expressão para uma ala. Se a pessoa for ligada ao Presidente da República, Jair Bolsonaro, se for aliada dele, não tem liberdade de expressão alguma”.

José Medeiros exemplificou com o caso da deputada Carla Zambelli, condenada por utilizar uma palavra que é utilizada dezenas de vezes por dia contra o presidente Bolsonaro por parlamentares de esquerda, mas os últimos não sofrem qualquer espécie de sanção. 

O deputado prosseguiu: “Agora saiu também o parecer da PGE — Procuradoria-Geral Eleitoral sobre aquele comício que Lula fez, com a participação de Daniela Mercury e outros artistas, que foi um verdadeiro comício, no dia 1º de maio. A PGE diz que não foi campanha eleitoral antecipada”.

Medeiros explicou a situação enfrentada pelos cidadãos de direita, proibidos de se manifestarem politicamente. Ele disse: “nós estamos enfrentando um jogo que, se fosse de futebol, seria como jogar contra os 11 jogadores, os 2 bandeirinhas e o juiz”.

Enquanto a esquerda realiza showmícios com pedido explícito de votos, organiza “brigadas digitais” com impulsionamento de mensagens, publica imagens manipuladas e segue em aberta campanha antecipada, cidadãos de direita podem ser perseguidos sem qualquer direito ao devido processo legal, simplesmente por expressarem suas opiniões. Além disso, sites e jornais independentes são perseguidos e sancionados por relatarem atos e palavras do presidente da República, enquanto a velha imprensa pode veicular os mesmos pronunciamentos sem sofrer qualquer restrição. 

Em uma decisão monocrática em um inquérito administrativo, o ex-corregedor do TSE, Luis Felipe Salomão, mandou confiscar a renda de jornais, sites e canais conservadores, entre os quais a Folha Política, para impedir suas atividades. A decisão, que vem sendo mantida pelo atual corregedor, Mauro Campbell Marques, confisca todos os rendimentos de pessoas e empresas obtidos pela monetização de vídeos do youtube. Há mais de um ano, todos os nossos rendimentos são retidos sem base legal. O confisco não obedece a qualquer critério relativo aos temas abordados, evidenciando que trata-se de censura direcionada a pessoas e empresas específicas. 

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, a mando do ministro Alexandre de Moraes. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...