quarta-feira, 6 de julho de 2022

Eduardo Bolsonaro expõe graves denúncias contra Lula para comandantes das Forças Armadas e entra em conflito com petistas


No decorrer de participação do General Paulo Sérgio, ministro da Defesa do Governo Bolsonaro, e dos comandantes das Forças Armadas na Câmara dos Deputados, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, elencou graves denúncias envolvendo o PT, Lula e o crime organizado na América Latina.

O parlamentar assestou: “Marcos Valério fala que o PT lavava dinheiro para o PCC e este dinheiro serviria de dinheiro de campanha para deputados do PT. Talvez até de colegas sentados em frente ao senhor. No caso Celso Daniel, Lula seria um dos mandantes desse horrendo crime”.

Ademais, ele acrescentou: “Mais recentemente, Lula se vangloriou de ajudar os sequestradores, ele chamou de ‘meninos’ que sequestraram o Abílio Diniz. Há pouco tempo atrás, Hugo Carvajal, que era chefe de inteligência de Hugo Chávez, ele traficava drogas em alta escala, seguindo o plano de Chávez para inundar os Estados Unidos com drogas. Para a Justiça Espanhola, Carvajal já adiantou que as drogas financiaram os governos latinoamericanos. Argentina, com Kirchner, Brasil, com Lula da Silva, Fernando Correia no Equador. Não por acaso, todos membros do Foro de São Paulo”.

No ensejo, Eduardo questionou: “Senhores comandantes de Forças, organizações como PCC, CV, FARC e PT representam um risco à defesa da soberania nacional?”. Sendo interrompido por um parlamentar petista, ele rebateu: “Notícia do Estadão: o seu PT lavando dinheiro para o PCC. Quem sabe você não foi financiado pelo PCC? (...). Querem botar o maior ladrão da história do Brasil no governo. Desrespeito mesmo. Não tenho de dar respeito para malandro e vagabundo”.

Nesta toada, Eduardo salientou as ameaças da esquerda à democracia e à liberdade no Brasil: “O cara não dá um pio quando prendem um jornalista, quando fecham uma imprensa como o Terça Livre, prendem um deputado federal como Daniel Silveira por falar, prendem presidente de partido político. Se isso não é característica de uma ditadura, não sei mais o que é”.

No contexto atual do Brasil, muitas pessoas estão sendo tratadas como sub-cidadãos, pelo simples motivo de terem manifestado apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Por expressarem suas opiniões, são alvo de CPIs, de inquéritos secretos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes no Supremo Tribunal Federal, ou são vítimas de medidas arbitrárias como prisões políticas, apreensão de bens, e exposição indevida de dados, entre outras. 

A totalidade da renda da Folha Política, assim como de outros canais e sites conservadores, está sendo confiscada a mando do ex-corregedor do TSE, Luís Felipe Salomão, com o apoio e aplauso dos ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. Há mais de um ano, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode nos ajudar a continuar nosso trabalho, doe qualquer valor através do Pix, usando o QR Code que está visível na tela, ou com o código ajude@folhapolitica.org. Se preferir transferência ou depósito, a conta da empresa Raposo Fernandes está disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo. 

Há 10 anos, a Folha Política vem mostrando os eventos da política brasileira e dando voz a pessoas que o cartel midiático quer manter invisíveis. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...