terça-feira, 2 de agosto de 2022

Bolsonaro desmonta ‘carta pela democracia’ em entrevista ao SBT: ‘O outro lado é ligado a ditaduras. Comprovo que sou democrata pelo que fiz’


Em entrevista ao SBT, transmitida por suas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro respondeu a diversas questões, tratando de economia, responsabilidade fiscal, combustíveis e eleições, entre outros assuntos. O presidente anunciou que, no próximo ano, haverá a correção da tabela do imposto de renda, que há décadas seguia sem alteração, pesando cada vez mais no orçamento das famílias. 

Questionado sobre a chamada “carta dos banqueiros”, o presidente respondeu que não vê necessidade de assinar, pois os atos falam mais alto que uma assinatura. O presidente disse: “essa carta é política. Eu não preciso falar se sou democrata ou não. Olha as minhas ações. Em algum momento eu falei que vou censurar as mídias sociais?”. O presidente lembrou que pessoas que assinaram a “carta pela democracia” apoiam regimes ditatoriais. Ele disse: “essa carta, como está, eu não preciso assinar. O outro lado é ligado a ditaduras. Eu, por exemplo, comprovo que sou democrata pelo que fiz”. 

Mais cedo, em outra entrevista, o presidente agradeceu pela iniciativa dos advogados que lançaram um Manifesto pelas Liberdades, em resposta à “carta dos banqueiros”. Nesse manifesto, que já ultrapassou o número de assinaturas da carta do “establishment”, os advogados denunciam a tentativa de consolidação da “ditadura do pensamento único” e alertam sobre a perda das liberdades em consequência dos inquéritos políticos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes no Supremo Tribunal Federal e sobre a censura imposta pelo ministro e também por seus congêneres no TSE. O manifesto pode ser consultado no link: MANIFESTO À NAÇÃO BRASILEIRA - DEFESA DAS LIBERDADES 

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e pessoas que apenas têm um discurso diferente do imposto pelo cartel midiático vêm sendo perseguidos, em especial pelo Judiciário. Além dos inquéritos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, também o ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, criou seu próprio inquérito administrativo, e ordenou o confisco da renda de sites e canais conservadores, como Bárbara, do canal Te Atualizei, e a Folha Política. Toda a receita gerada pelo nosso jornal desde 1º de julho de 2021 está bloqueada por ordem do TSE, com aplauso dos ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. Há mais de 13 meses, toda a renda do nosso trabalho vem sendo retida, sem qualquer previsão legal. 

Sem a possibilidade de receber a renda de seu trabalho, o jornal corre o risco de fechar. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar, use o QR Code que está visível na tela para doar qualquer quantia, ou use o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política faz a cobertura da política brasileira, mostrando atos, pronunciamentos e eventos dos três poderes, quebrando a espiral do silêncio imposta pelo cartel de mídia que quer o monopólio da informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...