terça-feira, 2 de agosto de 2022

Bolsonaro faz apelo emocionado em defesa da liberdade, detona Lula e apoia Manifesto pelas Liberdades


No decorrer de entrevista concedida a uma rádio gaúcha e transmitida por suas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro desabafou e fez um apelo emocionado ao defesa da liberdade, alfinetou o ex-presidente Lula, apoiou o Manifesto pela Liberdade capitaneado por advogados de direita, voltou a rebater a “carta dos banqueiros” e atentou para manipulações da linguagem perpetradas por agentes autoritários.

O manifesto pode ser consultado no link: MANIFESTO À NAÇÃO BRASILEIRA - DEFESA DAS LIBERDADES

O presidente desabafou: “Liberdade acima de tudo. A liberdade não tem preço. A liberdade é mais importante que a tua vida. O outro lado fala o tempo todo em controlar as mídias sociais, a imprensa, como se ele fosse o dono da verdade. Essa matéria pode ir para a TV, essa não. O que é isso? Estamos abrindo mão da nossa liberdade? Em troca de quê? De alguém que está mentindo para voltar a te roubar, como roubou no passado”.

No ensejo, Bolsonaro louvou a iniciativa do Manifesto pela Liberdade, que já ultrapassou a marca de 700 mil assinaturas: “Obrigado aos advogados pelo documento que fizeram. Parabéns, pois muita gente prefere ficar quieta, se omitir, ver como fica, e pode ser tarde demais quando pensam em tomar uma decisão para tentar recuperar aquilo que ele perdeu. Tem um ditado que diz: quem abre mão de parte de sua liberdade para ter segurança acaba ficando sem segurança e sem liberdade”

Ademais, Bolsonaro fez uma admoestação no que concerne à manipulação das palavras e do discurso por aqueles que desejam implantar regimes ditatoriais: “Ninguém diz que vai fazer uma coisa…ele diz o contrário. O que diz que é defensor da democracia é um ditador. Qual o nome dos países ditatoriais? República Democrática da Alemanha, da Coreia do Norte. Ninguém que queira dar um golpe vai falar que não é democrático. Vai dizer que é democrata. São contradições. Tentam me jogar para um lado como se eu estivesse preparando um golpe”.

A ditadura da toga segue firme. O Brasil tem hoje presos políticos e jornais, parlamentares e influenciadores censurados. A Folha Política tem toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com o aplauso e o respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas. Há mais de 13 meses, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. 

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, a mando do ministro Alexandre de Moraes. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...