segunda-feira, 29 de agosto de 2022

Delegado Ramagem detona parcialidade da Globo e General Pazuello expõe humilhação de Lula em debate com Bolsonaro


Imediatamente após o término do debate presidencial da Band, o deputado federal Eduardo Bolsonaro fez uma live para comentar o desempenho do presidente Jair Bolsonaro e dos outros candidatos, acompanhado do ex-ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, e do ex-diretor da Agência Brasileira de Inteligência, delegado Alexandre Ramagem. 

Eduardo Bolsonaro, Pazuello e Ramagem comentaram a atuação conjunta dos candidatos e da velha imprensa, que se colocaram, de forma coordenada, em situação de ataque ao presidente Jair Bolsonaro. O general Pazuello apontou: “ você vê que eles estão combinados. Qual era o jogo deles? Eles querem derrubar o presidente com assunto de mulher. É impressionante como eles vêm em bloco. É tudo combinado”. O general afirmou que, quando anda com o presidente na rua, as mulheres o abordam, parabenizam e tiram fotos com ele, não sendo observada qualquer repulsa. Pazuello disse: “a narrativa criada, a narrativa combinada politicamente, tenta colar uma mentira no presidente”.

O delegado Ramagem comparou o debate com as entrevistas promovidas pela rede Globo, em que o presidente Bolsonaro foi atacado e interrompido e Lula foi tratado com subserviência. Ramagem disse que, quando Lula recebeu de Bolsonaro uma pergunta séria sobre corrupção, não soube desviar o assunto e começou a se perder. Eduardo Bolsonaro complementou apontando a diferença entre as perguntas formuladas a Lula por Bolsonaro e pela Globo. 

O general Pazuello apontou que, em uma campanha eleitoral, todos os candidatos estão tentando vender esperança aos eleitores. Pazuello disse: “a esperança que o Lula vende é de uma narrativa mentirosa, é tudo falso, narrativa. A esperança que o Bolsonaro vende é baseada em fatos. Você vê a diferença do que é narrativa e o que é fato”.

Os participantes da live também apontaram a mentira de Lula ao dizer que foi inocentado.  O delegado Ramagem disse: “Esse foi um dos grandes absurdos que o STF vem propagando”. Ramagem explicou que Lula foi condenado em quatro processos, julgado em três instâncias, e os processos foram anulados por uma questão processual. O delegado disse: “foi um grande absurdo, de uma decisão não fundamentada, que trouxe um preso em diversas instâncias, de volta para concorrer à presidência da República. Como você explica isso lá fora?”. 

Há 10 anos, a Folha Política atua noticiando fatos, discursos, argumentos e denúncias que são obliteradas pela velha imprensa. Nosso veículo de imprensa dá voz às vozes conservadoras, ao anticomunismo, à defesa dos direitos fundamentais e da liberdade de expressão e de imprensa, além de trazer ao público os vídeos dos pronunciamentos de autoridades para que o público possa formar sua própria opinião sobre o que foi dito e não precise depender de relatos de terceiros. 

Quem controla a informação controla, em última instância, a realidade. Grupos monopolísticos e cartéis que se associam com o intuito de barrar informações contrárias ou inconvenientes atuam em conluio com a finalidade de aniquilar qualquer mídia independente, eliminando o contraditório e a possibilidade de um debate público amplo, honesto, abrangendo todos os feixes e singularidades dos mais diversos espectros políticos. Controlando as informações, o cartel midiático brasileiro tenta excluir do debate e, em última instância, da vida pública, os conservadores e os veículos que dão voz a essas pessoas. 

A renda da Folha Política está sendo confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com respaldo e apoio de Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. A decisão confisca, de forma indiscriminada, todas as receitas advindas do Youtube, indicando claramente que a intenção não é a de excluir conteúdos específicos, mas sim de calar o canal e eliminar a empresa. Há mais de 13 meses, toda a nossa renda é retida, sem qualquer justificativa jurídica. 

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política vem mostrando a realidade da política brasileira e quebrando barreiras do monopólio da informação. Com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...