terça-feira, 23 de agosto de 2022

General, jornalistas e políticos retrucam a Rede Globo após confronto de Bolsonaro com Bonner no Jornal Nacional


O presidente Jair Bolsonaro concedeu uma entrevista ao Jornal Nacional, da rede Globo, na qual foi constantemente interrompido pelos apresentadores que trouxeram as narrativas da emissora. A entrevista gerou intensos comentários nas redes sociais, que enfatizaram a militância explícita dos representantes da emissora e se indignaram com a grosseria dos apresentadores. 

O deputado General Girão brincou: “Só pelo fato do Presidente Bolsonaro falar o que todos nós queremos falar da Globo, já valeu a pena. "Vocês estão mentindo"”.

O senador Flavio Bolsonaro, filho do chefe de Estado, congratulou: “Parabéns ao Presidente Bolsonaro pela entrevista! Apesar do tom arrogante, caras e bocas dos entrevistadores, não conseguiram desestabilizar Bolsonaro que, com humildade e sem fugir dos assuntos, ainda encerrou brilhantemente! Foi show, vai ser no 1º turno!”

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, questionou: “Como o William Bonner recebe o Presidente da República fazendo caras de deboche e caretas o tempo inteiro???”. Faria acrescentou: “Inacreditável!! Roteiro agressivo com apresentadores arrogantes e debochados. Tivemos um Presidente sereno que mostrou que o Brasil está em boas mãos e rumo à reeleição. Vamos lá, Capitão, estamos com você!!”.

O ministro Ciro Nogueira argumentou: “Hoje o Brasil pode ver o Bolsonaro de verdade que as narrativas esconderam e escondem há 4 anos: uma pessoa espontânea, sincera, de posições firmes e com profundo amor pelo Brasil e pelos brasileiros. Hoje o Brasil pode ouvir Bolsonaro falar e não o que falaram de Bolsonaro. E a diferença é a distância entre os preconceitos inventados contra ele e tudo que seu governo fez pelo país, seu sentimento de dever como presidente. Cada vez mais, a partir de agora, com a campanha eleitoral, a verdade vai vencer as narrativas, o futuro vai vencer o passado e o atraso. Bolsonaro presidente pelo bem do país. GRANDE NOITE!”.

O Dr Vinicius Rodrigues, ex-secretário de saúde de Sorocaba, comentou: “O Jornal Nacional jogou a última pá de cal no jornalismo brasileiro. O Bolsonaro não conseguia sequer falar sem ser interrompido. Que patético!”.

O especialista em segurança pública Fabricio Rebelo disse: “O JN deveria ter chamado a edição de hoje de "debate", e não de entrevista ou sabatina. Há dois ferrenhos oposicionistas ao governo buscando apenas desmoralizar o Presidente, e não extrair qualquer informação sobre propostas ou plano de governo. Um exemplo de péssimo jornalismo”.

O analista político Paulo Henrique Araújo questionou: “Dúvida: o brasileiro deixa-se influenciar por este tom afetado de “bom mocismo” do William Bonner e da Renata Vasconcelos?”. Ele descreveu a dinâmica da entrevista: 

“Pergunta fazendo construção de narrativa.

Presidente: Começa desfazer a narrativa… 

Bonner: Vamos mudar de assunto".

O escritor Bernardo P Küster disse: “Vamos ver se Renata Vasconcellos vai chorar ao perguntar para o Lula se ele se compadece com as vítimas dos regimes comunistas que se apoia… acho que já sabemos a resposta. A tática de Bonner e Renata é lançar uma chuva de acusações num curto período de tempo e interromper Bolsonaro quando tenta desfazer as mentiras. Isso é imoral. Para Renata Vasconcellos, uma cara feia e uma palavra ríspida são mais importantes do que as milhares de ações concretas do governo Bolsonaro  para salvar vidas e a economia”.

O escritor repetiu um trecho da entrevista: 

"-Bolsonaro, o ministro da educação caiu por corrupção com pastores.

-Bonner, cadê o duto do dinheiro?

-Não sei.

-Então você me acusa sem saber, Bonner”.

Küster acrescentou: #GloboLixo 🤣

Bolsonaro foi muito bem num debate – não numa entrevista – conduzido porcamente, feito só para reverberar as mentiras de seus opositores. Bonner e Renata engoliram respostas duras, mesmo tentando encurralar Bolsonaro toda hora. O JN provou por que sua audiência despenca dia a dia.

A Renata Vasconcellos já está ganhando o mesmo salário do Bonner ou ainda há desigualdade de salários entre eles mesmo depois de 4 anos?”.

O médico e youtuber Marcos Falcão perguntou: “Bonner quer saber sobre um novo mandato,  ou confrontar o candidato? Lixo de entrevista”.


O assessor do presidente, Filipe G. Martins, comentou: “Renata Vasconcellos mente e tenta reescrever a história ao dizer que o que a mídia defendia era "fique em casa, SE VOCÊ PUDER". Todo mundo sabe que isso é mentira, mas é de cima de mentiras como essas que ela e William Bonner tentam se vender como guardiões isentos da verdade. "Maior desmatamento em 15 anos"? Quem era mesmo o Presidente em 2007, quinze anos atrás? Todo mundo sabe que era o Lula, que governava o país quando o desmatamento era CINCO VEZES MAIOR do que o atual, com o orçamento comprometido pela pandemia e pela recessão deixada pelo PT. Tudo o que você precisa saber sobre o Jornal Nacional é que eles têm lado. Quando os jornalistas que compõem a bancada saem de lá, e não precisam mais fingir neutralidade, eles correm gritar "Lula Livre", como hoje faz o Chico Pinheiro.”.

O youtuber Kim D. Paim apontou: “Globo mudou de assunto, fugiram! William Bonner cortou Bolsonaro e mudou pra economia. Estão tentando desestabilizar Bolsonaro e não estão conseguindo”.

O jornalista Milton Neves gerou significativa repercussão ao alfinetar Bonner: “Parabéns ao William Bonner por ter conseguido falar mais do que um entrevistado, hj no JN. E inventou também a pergunta interminável e lida, Em seguida, resolveu ainda explicar a sua própria e longa pergunta. Ora, nem precisava de entrevistado”.

A comentarista Ana Paula Henkel, campeã do vôlei, foi enfática: “Que lixo de jornalismo. Questione, debata, aperte com boas perguntas e não com editorias com falácias e com caras, bocas e risinhos. Que troço patético. #RIPGlobo”.

O deputado estadual Coronel Sandro disse: “Uma entrevista que mais parece um julgamento é inacreditável. É por essas e por outras que a Globo virou o esgoto que é. Não tem credibilidade nenhuma!”.

O ex-secretário de cultura, Mario Frias, perguntou: “Que entrevista é essa onde o entrevistado não pode responder? Quanto cinismo e mau caratismo desses dois! Isso jamais pode ser chamado de jornalismo. O que era para ser uma entrevista séria e isenta, se tornou ataques desesperados e mentirosos. Bonner e Renata são canalhas ao extremo! 

A Rede Globo tem lado e nós sabemos qual é.”  Frias complementou: “É por isso que a Globo caiu em descrédito. São inimigos número 1 do Brasil. Não se importam com o país, muito menos com os brasileiros. Não estão nem aí para a verdade”.

Roberto Motta, engenheiro, ex-consultor do Banco Mundial e ex-Secretário de Estado, citou: “O senhor tem xingado os ministros do STF, o senhor tem feito ataques sem prova nenhuma...". Motta disse: “O jornalismo morreu na primeira pergunta do Bonner”.

Silvio Grimaldo, editor e cientista político, se indignou: “Tática vagabunda essa do Bonner e daquela outra guria: fazem uma dezenas de perguntas, interrompem o presidente o tempo todo e não o deixam responder a nenhuma questão. Bando de cretinos”.

O vereador Nikolas Ferreira ironizou: “Bonner perdendo no debate, automaticamente: Vamos para outro tema, candidato”.

O perfil humorístico Joaquin Teixeira brincou: “LEMBRANDO: ASSIM QUE ACABAR A ENTREVISTA TODO MUNDO DESLIGA A T.V. E MARCA EXAME DE SANGUE PARA AMANHÃ CEDO. FICAR EXPOSTO A #GLOBOLIXO PODE CAUSAR DIVERSAS DOENÇAS. #BolsonaroNoJN”

O deputado estadual Gilberto Silva disse: “O presidente BOLSONARO no início do debate já chamou Bonner de mentiroso e Fake News, a maioria dos brasileiros queriam chamar também”.

A cidadã Monica Machado questionou: “Por que o Bonner não chama o Bolsonaro de Presidente?”.

A internauta Fernanda Louback lamentou: “A falta de respeito completa, o ódio, a condução para a hostilização estão evidentes. É constrangedor assistir os “jornalistas” da rede globo…”

O perfil Saul Christos lamentou: “Foi desonesto, desleal e covarde. Mas o pior de tudo foi a arrogância dos entrevistadores, que se colocaram como donos da verdade, com caras e bocas de afetação, desdém e falta de respeito com o Presidente. Hoje a Globo colocou o último prego na tampa do seu caixão”.

Charles Wicz, do canal Economista Sincero, avaliou: “Lamentável a postura do Bonner..”.

A advogada Flavia Ferronato comentou: “Obrigada Bonner e Renata. Vocês me fizeram lembrar o pq nunca mais assisti o Jornal Nacional”.

O youtuber Ed Raposo aferiu: “Como esperado, interrupções do início ao fim, principalmente da moçoila. Festival de dados aleatórios e subjetivos, como os da Amazônia e do ex-ministro da educação. Respostas firmes pra todas as perguntas, sempre de pronto. Péssimo jornalismo, mas mesmo assim o PR foi muito bem”.

Há 10 anos, a Folha Política atua noticiando fatos, discursos, argumentos e denúncias que são obliteradas pela velha imprensa. Nosso veículo de imprensa dá voz às vozes conservadoras, ao anticomunismo, à defesa dos direitos fundamentais e da liberdade de expressão e de imprensa, além de trazer ao público os vídeos dos pronunciamentos de autoridades para que o público possa formar sua própria opinião sobre o que foi dito e não precise depender de relatos de terceiros. 

Quem controla a informação controla, em última instância, a realidade. Grupos monopolísticos e cartéis que se associam com o intuito de barrar informações contrárias ou inconvenientes atuam em conluio com a finalidade de aniquilar qualquer mídia independente, eliminando o contraditório e a possibilidade de um debate público amplo, honesto, abrangendo todos os feixes e singularidades dos mais diversos espectros políticos. Controlando as informações, o cartel midiático brasileiro tenta excluir do debate e, em última instância, da vida pública, os conservadores e os veículos que dão voz a essas pessoas. 

A renda da Folha Política está sendo confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com respaldo e apoio de Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. A decisão confisca, de forma indiscriminada, todas as receitas advindas do Youtube, indicando claramente que a intenção não é a de excluir conteúdos específicos, mas sim de calar o canal e eliminar a empresa. Há mais de 13 meses, toda a nossa renda é retida, sem qualquer justificativa jurídica. 

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política vem mostrando a realidade da política brasileira e quebrando barreiras do monopólio da informação. Com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...