terça-feira, 16 de agosto de 2022

Senadores marcam audiência para que Moraes preste esclarecimentos sobre ‘inquérito do fim do mundo’ e Girão pontua: ‘Resta saber se vai se negar a atravessar a Praça dos Três Poderes’


Em vídeo gravado no plenário vazio do Senado, o senador Eduardo Girão convidou os cidadãos a acompanharem a audiência pública que tenta ouvir o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, sobre os inquéritos políticos que conduz e nos quais persegue adversários políticos. 

Ao divulgar o vídeo, o senador disse: “A comissão de transparência, fiscalização e controle do Senado já enviou, desde ontem, os convites para a nova audiência pública na manhã da próxima quarta feira, dia 24. O requerimento que deu origem a esta iniciativa foi de minha autoria e aprovado por unanimidade na semana passada. Resta saber se mais uma vez o Ministro do STF - e daqui a pouco Presidente do TSE - Sr. Alexandre de Moraes vai se negar a atravessar a Praça dos Três Poderes e vir dialogar com parlamentares e sociedade brasileira pela democracia. Se você quiser participar, agende-se. A sessão é aberta ao público de forma presencial mas também será transmitida ao vivo pelos canais da Casa Revisora da República. Que a Verdade e Justiça prevaleçam em nossa nação. Paz & Bem”. 

No vídeo, Girão afirma: “espero que o ministro Alexandre de Moraes venha, aceite o convite, juntamente com outros juristas que já confirmaram, e a ex-PGR Raquel Dodge e o atual Augusto Aras, para debater sobre aquele inquérito do fim do mundo, onde o Supremo é quem julga, é a vítima, é o delegado, é tudo”.

Segundo a Constituição Federal, o controle dos atos de ministros do Supremo Tribunal Federal seria realizado pelo Senado, que pode promover o impeachment dos ministros em caso de crime de responsabilidade. No entanto, a Casa permanece inerte mesmo diante de evidentes abusos de autoridade, pois os presidentes da Casa vêm barrando a tramitação dos pedidos, sem consulta ao colegiado. Sem controle externo, alguns ministros do Supremo agem ao arrepio da Constituição. 

Em inquéritos secretos, o ministro Alexandre de Moraes, por exemplo, promove uma perseguição a adversários políticos. Em um desses inquéritos, a Folha Política teve sua sede invadida e todos os seus equipamentos apreendidos. O inquérito foi arquivado por falta de indícios de crimes, mas os dados sigilosos foram compartilhados com outros inquéritos e com a CPI da pandemia, que compartilha dados sigilosos com a velha imprensa. 

Sem justificativa jurídica, o ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, confiscou toda a renda da Folha Política e de outros sites e canais conservadores, para impedir suas atividades. A decisão teve o aplauso e respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Há mais de 13 meses, os jornais, sites e canais conservadores têm todos os seus rendimentos retidos sem qualquer base legal. 

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a impedir o fechamento do jornal, doe qualquer valor através do Pix, utilizando o QR Code que está visível na tela ou o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política vem mostrando os fatos da política brasileira e dando voz a pessoas que o cartel midiático quer calar. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...