sábado, 3 de setembro de 2022

Bolsonaro aponta ‘maus brasileiros’, confronta ‘barbaridades’ de Daniel Ortega e expõe ‘amizade íntima’ do ditador com Lula


Durante evento com mulheres em Nova Hamburgo, no Rio Grande do Sul, o presidente Jair Bolsonaro falou sobre as ameaças, internas e externas, que afligem o Brasil. Bolsonaro disse: “Vocês sabem que o Brasil é um país riquíssimo - água, biodiversidade, riquezas minerais, paisagens… Temos tudo aqui. Em consequência, quando você tem tudo, alguém está interessado em você. Alguém tem dúvidas de que outro país está interessado no Brasil? Alguém tem dúvidas de que tem gente que quer ser presidente e defende esse regime desse outro país?”. 

O presidente alertou: “Temos problemas externos, mas nossos maiores problemas são internos. São maus brasileiros. São pessoas que não têm qualquer respeito com a população, com a família, com as mulheres, com a propriedade privada, com as religiões. Quer o poder pelo poder. Imaginem se, por ocasião da pandemia, aquele cara que ficou em segundo lugar em 2018 fosse o presidente da República. Teria fechado o Brasil todo. Já teria destruído a nossa economia. Já teria imposto aqui no Brasil o que sempre quiseram fazer, teria imposto a sua ditadura aqui dentro. Até porque, o cara disse: “quando eu voltar, muito líder de governo pelo mundo virá para o Brasil”. Sim, virá pra cá Maduro, Fernandez, Lupo, Daniel Ortega, o atual ditador de Cuba, entre outros. Pessoas que viviam de dinheiro nosso do BNDES”.

O presidente havia mencionado os ditadores da América do Sul pouco antes no discurso, quando disse: “A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, disse sobre a Nicarágua. O atual ditador, que alguns preferem chamar de presidente, Daniel Ortega, decidiu endurecer contra os católicos. Prendendo padres, fechando rádios católicas e expulsando freiras. Fazendo outras barbaridades contra quem tem fé lá no seu país. Esse Daniel Ortega é amigo íntimo de um ex-presidente aqui do Brasil (...). É gente que está falando de religião, mas a religião é a base, é um freio, é direito de cada um”. 

Muitos brasileiros estão vivendo sob o jugo de uma ditadura, em que seus direitos e garantias fundamentais estão sendo desrespeitados. O país tem presos políticos e pessoas, jornais e sites censurados. A totalidade da renda da Folha Política, e também de outros canais e sites conservadores, está sendo confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, em uma decisão que recebeu o respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Há mais de 14 meses, toda a renda do nosso trabalho é retida sem qualquer justificativa jurídica.

Se você apoia o trabalho da Folha Política, que há 10 anos mostra os fatos da política brasileira, e pode ajudar o jornal a permanecer em funcionamento, doe qualquer valor através do Pix, usando o QR Code que aparece na tela ou o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política vem enfrentando a espiral do silêncio imposta pelo cartel midiático que quer controlar a informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...