terça-feira, 13 de setembro de 2022

Bolsonaro detona Doria diante de multidão em SP e retruca comunistas: ‘Quem tem que sair do Brasil são aqueles que não querem a liberdade’


O presidente Jair Bolsonaro discursou a uma impressionante multidão na cidade de Sorocaba, no interior de São Paulo, após uma “motociata” pela região. Em seu discurso, Bolsonaro enfatizou que o Brasil é um país rico em recursos naturais, e que, para se desenvolver, só precisa de uma condução responsável. O presidente apontou que, nos últimos anos, o patriotismo ressuscitou e, cada vez mais, pessoas de bem se dispõem a trabalhar pelo país. 

Bolsonaro reconheceu que, durante a pandemia, a população de São Paulo, em especial, sofreu muito, e alfinetou o ex-governador João Doria, dizendo: “se elegeu usando meu nome e depois virou ‘inimiguinho’. Hoje está jogado na vala do esquecimento. Não se ganha a liderança comprando matérias na imprensa. Se ganha trabalhando, estando ao lado do povo nos momentos mais difíceis”. 

O presidente apontou que seu governo assistiu os mais humildes quando as medidas adotadas por governadores e prefeitos afetaram a economia, e afirmou que o Brasil, na economia, está dando exemplo para o mundo. Bolsonaro disse que seu governo respeita os valores da população, com um presidente que acredita em Deus. 

Bolsonaro disse: “vamos, cada vez mais, ocupar o espaço de pessoas que não tinham qualquer compromisso com vocês ou com seu estado (...) Temos o mal pela frente, o capeta pela frente, que quer impor o comunismo no Brasil”. O presidente afirmou: “nós não sairemos do Brasil. Quem tem que sair do Brasil são aqueles que não querem a liberdade de seu povo, que não aceitam o livre mercado, que querem nos colocar na situação em que se encontram outros países da América do Sul”. O presidente mencionou a perseguição religiosa em países como a Nicarágua e lembrou a responsabilidade dos cidadãos ao escolherem seus representantes. Bolsonaro concluiu: “juntos, continuaremos a mudar o Brasil”. 

A Constituição Federal determina, em seu art. 5º, inciso LIV, que “ninguém será privado da liberdade ou de seus bens sem o devido processo legal”. No entanto, o ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, mandou confiscar, em decisão monocrática em inquérito administrativo, a renda de canais e sites conservadores, como de Bárbara, do canal Te Atualizei, e da Folha Política. 

A decisão do ministro, que recebeu o respaldo e o apoio de Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin, confisca toda a renda dos canais, sem qualquer distinção segundo o tipo de conteúdo, o tema, a época de publicação ou qualquer outro critério. Há mais de 14 meses, toda a renda do nosso trabalho é retida sem qualquer justificativa jurídica.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode nos ajudar a manter o jornal funcionando, doe através do QR Code que aparece na tela, ou utilizando o código Pix ajude@folhapolitica.org. Caso não use Pix, a conta da empresa Raposo Fernandes está disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo. Há 10 anos, a Folha Política vem enfrentando a espiral do silêncio imposta pelo cartel de mídia que quer o monopólio da informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...