segunda-feira, 19 de setembro de 2022

Bolsonaro é recebido por multidão após funeral da rainha e relata lição do arcebispo: ‘aqueles que servem serão amados e recordados’


O presidente Jair Bolsonaro foi recepcionado por uma multidão ao retornar à embaixada brasileira após os funerais da rainha Elizabeth II. Bolsonaro e a primeira-dama Michelle foram abordados por cidadãos que queriam cumprimentá-los e tirar fotografias, inclusive por uma senhora que exigiu boas fotos com os dois. 

Pelas redes sociais, o presidente disse: 

Na Abadia de Westminster, prestamos uma última homenagem à Rainha Elizabeth II e apresentamos, em nome do fraterno povo brasileiro, nossas orações para que Deus console o Rei Charles III, sua família e seu povo, firmes na esperança de que estaremos todos juntos na vida eterna.

Seguiremos em nossa missão de servir nossa Pátria e nosso povo fortalecidos pelas belas palavras proferidas pelo Arcebispo da Cantuária durante a cerimônia: "aqueles que servem serão amados e recordados, enquanto aqueles que se apegam ao poder e aos privilégios são esquecidos.

Nossos sentimentos à família rainha e ao povo do Reino Unido. No Brasil, temos forte em nossa lembrança ainda sua passagem por lá, em 1968. Por tudo que ela representou para o seu país e para o mundo, o momento é de pesar e de reconhecimento de tudo que ela fez pelo mundo.

No início do dia, o presidente havia declarado: 

“- Brasil vira o sexto principal destino de investimentos no mundo;

- Maior número de brasileiros com trabalho na história;

- Brasil volta às 10 maiores economias do mundo

- Uma das gasolinas mais baratas do mundo;

- Menor número de homicídios em duas décadas;

- Melhor Governo Digital das Américas;

- Agronegócio alimentando mais de 1 bilhão de pessoas no mundo;

- Um dos países que mais preservam a natureza no mundo;

- Zero escândalos de corrupção;

- Recorde redução de impostos e de queda nos preços;

- Recordes de apreensão de drogas;

- Recorde de eficiência, transparência e resultados”.

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e pessoas que apenas têm um discurso diferente do imposto pelo cartel midiático vêm sendo perseguidos, em especial pelo Judiciário. Além dos inquéritos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, também o ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, criou seu próprio inquérito administrativo, e ordenou o confisco da renda de sites e canais conservadores, como Bárbara, do canal Te Atualizei, e a Folha Política. Toda a receita gerada pelo nosso jornal desde 1º de julho de 2021 está bloqueada por ordem do TSE, com aplauso dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Há mais de 14 meses, toda a renda do nosso trabalho vem sendo retida, sem qualquer previsão legal. 

Sem a possibilidade de receber a renda de seu trabalho, o jornal corre o risco de fechar. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar, use o QR Code que está visível na tela para doar qualquer quantia, ou use o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política faz a cobertura da política brasileira, mostrando atos, pronunciamentos e eventos dos três poderes, quebrando a espiral do silêncio imposta pelo cartel de mídia que quer o monopólio da informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...