quinta-feira, 1 de setembro de 2022

Bolsonaro ridiculariza ‘checagem’ do Estadão e ‘matéria’ do grupo UOL que ‘revirou a vida’ de seus familiares: ‘Que vergonha!’


Em sua live semanal, o presidente Jair Bolsonaro rebateu narrativas da velha imprensa, mostrando como perderam o pudor e chegam a classificar como falsas informações que eles mesmos publicaram. 

O presidente mostrou uma “checagem” feita pelo Estadão após sua participação em um debate, e uma reportagem do próprio jornal, de agosto do ano passado, veiculando exatamente a informação que agora classificam como falsa. O presidente lembrou que seu primeiro emprego foi no jornal, e disse: “Que vergonha!”.

Bolsonaro também comentou uma suposta matéria do grupo UOL, que levantou o patrimônio de qualquer pessoa que eles tenham desejado associar ao presidente, manipulou conceitos para sugerir o uso de dinheiro vivo, e atribuiu ao presidente qualquer operação de compra e venda de imóveis que desejou. O presidente disse: “para mim, era muito mais fácil ficar do outro lado; por isso me atacam”. Bolsonaro acrescentou: “minha vida é revirada o tempo todo, e vamos tocando o barco aqui”. 

Em inquéritos conduzidos nas cortes superiores, “matérias”, “reportagens” e “relatórios” produzidos pela velha imprensa contra seus adversários políticos ou concorrentes são aceitas como provas, sem questionamento, e servem como pretexto para devassas em pessoas e empresas, no que é conhecido como “fishing expedition”. O resultado das devassas é compartilhado com a velha imprensa, que então expõe seus concorrentes apresentando atos banais como se fossem crimes, em matérias que servem como base para novos atos contra a concorrência. Petições são apresentadas por parlamentares de extrema-esquerda aos tribunais superiores quase simultaneamente à publicação das supostas reportagens, e, curiosamente, são atendidas. Um parlamentar chegou a admitir que vem substituindo a ação do Ministério Público. 

Em uma decisão monocrática em um inquérito administrativo, o ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, mandou confiscar a renda de sites e canais conservadores para impedir suas atividades, com o respaldo e aplauso dos ministros do STF Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. A Folha Política tem toda a sua renda confiscada desde 1º de julho de 2021. O confisco da renda atinge todos os vídeos produzidos pelo jornal, independente de tema, data, ou qualquer outro fator. 

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode nos ajudar a manter o jornal, doe qualquer valor utilizando o QR Code que está visível na tela, ou use o código Pix ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Com a sua ajuda, a Folha Política poderá se manter firme e continuar o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...