sexta-feira, 14 de outubro de 2022

Bolsonaro discursa a uma impressionante multidão no Rio de Janeiro e ouve: ‘Lula, ladrão, seu lugar é na prisão’


O presidente Jair Bolsonaro discursou, em um evento em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, a uma impressionante multidão vestida de verde e amarelo, com bandeiras do Brasil. Ao lado do governador reeleito, Cláudio Castro, e do senador eleito Magno Malta, o presidente falou sobre o desafio do segundo turno da eleição presidencial. 

Bolsonaro disse: “temos quase tudo contra nós. Mas, ao nosso lado, temos o povo brasileiro. Vocês é que dão o norte para nossas ações. Eu devo lealdade ao nosso povo. Temos um sistema contra a gente. Mas nós somos resilientes”. O presidente acrescentou: “para mim, seria muito mais fácil estar do outro lado do balcão. Mas o meu lado é o lado do povo brasileiro”.

O presidente lembrou que o país enfrenta dificuldades causadas por crises sucessivas como a pandemia, a guerra na Ucrânia, e uma crise hidrológica, mas vem se recuperando graças à sua equipe de ministros. 

Bolsonaro alertou sobre a possibilidade da instauração do comunismo no Brasil e pediu: “se você não quer pensar em nós, pense nos nossos filhos”. Ele lembrou dos refugiados que vêm diariamente da Venezuela e disse: “vem gente pra cá fugindo. E nós, iríamos para onde? Nós não iremos a lugar nenhum porque o Brasil é o nosso lugar. Essa terra é nossa”. Bolsonaro acrescentou: “é uma luta do bem contra o mal, e o bem sempre venceu, e vai vencer de novo no próximo dia 30 de outubro”. 

Bolsonaro rebateu diversas falas do ex-presidente Lula, seu adversário na eleição, lembrando que o ex-presidente nunca concluiu obras, mas agora faz promessas ao vento. A multidão respondeu aos gritos de “Lula, ladrão, seu lugar é na prisão”. 

A ditadura da toga segue firme. O Brasil tem hoje presos políticos e jornais, parlamentares e influenciadores censurados. A Folha Política tem toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com o aplauso e o respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas. Há mais de 15 meses, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. 

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, a mando do ministro Alexandre de Moraes. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...