terça-feira, 18 de outubro de 2022

Bolsonaro e Michelle se pronunciam com embaixadora da Venezuela e denunciam ‘jogo sujo’ do PT para manipular refugiadas


O presidente Jair Bolsonaro divulgou um vídeo, ao lado da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e da embaixadora da Venezuela, María Teresa Belandria, denunciando que militantes de extrema-esquerda estão pressionando mulheres venezuelanas para criarem situações que o desfavoreçam politicamente. 

O presidente afirmou: “estamos indignados com as últimas ações de alguns militantes de esquerda que, sem nenhum pudor, estão pressionando mulheres venezuelanas a fim de obterem vantagem política neste momento. Mesmo depois da decisão do TSE, tomada em função da mentira que vinha sendo veiculada sobre minha pessoa, esses inomináveis agora dirigem seus ataques contra essas mulheres”.

Bolsonaro prosseguiu: “As palavras que eu disse refletiram uma preocupação da minha parte no sentido de evitar qualquer tipo de exploração de mulheres que estavam vulneráveis. A dúvida e a preocupação levantadas foram quase que imediatamente esclarecidas, à época, pela nossa ministra da mulher, Damares Alves, que foi ao local e constatou que as mulheres citadas na live eram trabalhadoras”

O presidente também relatou que Damares, Michelle e a embaixadora visitaram as mulheres e constataram que elas estão reconstruindo suas vidas e ajudando outras mulheres. Bolsonaro disse: “se as minhas palavras que, por má-fé, foram tiradas de contexto, de alguma forma foram mal entendidas ou provocaram algum constrangimento às nossas irmãs venezuelanas, peço desculpas, já que meu compromisso sempre foi de atender e acolher a todos que fogem de ditaduras pelo mundo”. 

A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, destacou o trabalho da operação Acolhida e afirmou que, como país cristão, o Brasil acolhe os que precisam.

Mesmo após terem conteúdos removidos por divulgarem “fatos sabidamente inverídicos”, a militância da campanha do ex-presidente Lula segue divulgando suas produções de forma coordenada, com o uso de estruturas hierárquicas de distribuição que são divulgadas abertamente por membros da campanha. 

Ao mesmo tempo, a campanha do ex-presidente pede abertamente a censura de veículos, parlamentares e cidadãos de direita, com base em narrativas criadas por eles próprios. Com base nesse mesmo tipo de narrativas, e a pedido de parlamentares de extrema-esquerda, cortes superiores vêm impondo medidas arbitrárias e abusivas a cidadãos, em inquéritos inconstitucionais e secretos. Nesses inquéritos, as narrativas apresentadas por pessoas suspeitas e interessadas são aceitas como provas, sem questionamento, substituindo o Ministério Público e substituindo os próprios fatos.  Nesses inquéritos, direitos e garantias fundamentais são deixados de lado, em franca violação à Constituição, às leis e a tratados internacionais de que o Brasil é signatário. 

No chamado ‘inquérito do fim do mundo’, e nos inquéritos dele decorrentes, já houve: prisões políticas sem que houvesse sequer indiciamento das pessoas presas; imposição de uso de tornozeleira eletrônica e ‘prisão domiciliar’ em endereço diferente de onde as pessoas moravam; quebra de sigilo de parlamentares, inclusive de um senador; quebra de sigilos de pessoas e empresas, inclusive de veículos de imprensa; quebra de sigilos do ajudante de ordens do presidente da República; censura de veículos de imprensa e de parlamentares; bloqueio de redes sociais de jornalistas, veículos de imprensa e parlamentares; buscas e apreensões em empresas, residências - inclusive de um general da reserva -, residências de familiares, e gabinetes de parlamentares; proibição de contato entre pessoas, que muitas vezes, nem se conhecem; proibição a parlamentares de concederem entrevistas; intervenções no comando de partido político; entre outras. 

A totalidade da renda da Folha Política, assim como de outros canais e sites conservadores, está sendo confiscada a mando do ex-corregedor do TSE, Luís Felipe Salomão, com o apoio e aplauso dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Há mais de 15 meses, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode nos ajudar a continuar nosso trabalho, doe qualquer valor através do Pix, usando o QR Code que está visível na tela, ou com o código ajude@folhapolitica.org.  Se preferir transferência ou depósito, a conta da empresa Raposo Fernandes está disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo. 

Há 10 anos, a Folha Política vem mostrando os eventos da política brasileira e dando voz a pessoas que o cartel midiático quer manter invisíveis. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...