quarta-feira, 26 de outubro de 2022

Marcel Van Hattem é intensamente aplaudido em ato contra censura: ‘o que eles não gostam é de ouvir a verdade’


O deputado federal reeleito Marcel Van Hattem participou, na avenida Paulista, em São Paulo, de um dos inúmeros atos contra a censura que ocorreram ontem em todo o Brasil. O deputado observou que todas aquelas pessoas trabalhadoras deram seu tempo para “deixar bem claro que a gente não quer ser calado jamais”. Com gritos de “não à censura”, o deputado explicou: “nós queremos liberdade. Nós nascemos para ser livres e nós queremos continuar vivendo em um país livre. É isso que nós queremos no nosso Brasil. Chega de tentarem nos calar. Não vão conseguir! Não estão conseguindo. Olha só quanta gente aqui. Isso aqui é apenas o começo da nossa indignação contra o que está acontecendo. Podem ter certeza: nós só começamos”. A multidão respondeu com gritos de “liberdade!”. 

Marcel Van Hattem disse: “nós sabemos que não é isso. Mas se acham que nos convencem com o discurso de que estão combatendo fake news, estão muito enganados. O que eles não gostam é de ouvir a verdade. A verdade que dói, porque a verdade é feia (...) É lamentável que pessoas que deveriam ter o equilíbrio, que deveriam dar exemplo, estejam gerando tanta insegurança no nosso país, tanta perseguição. É intolerável isso. É  por isso que minha voz jamais vai se calar, aqui ou na tribuna da Câmara dos Deputados”. O deputado foi intensamente aplaudido ao pedir: “Impeachment já de ministros do Supremo que não respeitam o povo e a lei brasileira”.

A concentração de poderes nas mãos de poucos senadores vem levantando questões sobre a representatividade do Senado, já que o colegiado pode ser ignorado pela vontade de um único senador, como ocorre com os pedidos de impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal. Embora a apreciação dos pedidos seja responsabilidade do Senado Federal, os presidentes vêm impedindo qualquer apreciação pelo colegiado, empilhando os pedidos em suas gavetas. Em menos de 2 anos, o presidente do senado Rodrigo Pacheco já recebeu 26 pedidos de impeachment apenas para o ministro Alexandre de Moraes. Nenhum foi sequer levado ao debate com os senadores.

Sem controle externo, alguns ministros do Supremo agem ao arrepio da Constituição. Em inquéritos secretos, o ministro Alexandre de Moraes, por exemplo, promove uma aberta perseguição a adversários políticos. Em um desses inquéritos, a Folha Política teve sua sede invadida e todos os seus equipamentos apreendidos, inclusive celulares e tablets dos sócios e seus filhos. O inquérito foi arquivado por falta de indícios de crimes, mas os dados sigilosos foram compartilhados com outros inquéritos e com a CPI da pandemia, que compartilha dados sigilosos com a velha imprensa. 

Sem justificativa jurídica, o ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, confiscou toda a renda da Folha Política e de outros sites e canais conservadores, para impedir suas atividades. A decisão teve o aplauso e respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin.  Há mais de 15 meses, toda a nossa receita é retida, sem justificativa jurídica.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a impedir o fechamento do jornal, doe qualquer valor através do Pix, utilizando o QR Code que está visível na tela ou o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política vem mostrando os fatos da política brasileira e dando voz a pessoas que o cartel midiático quer calar. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...