domingo, 9 de outubro de 2022

Renomado jurista Ives Gandra desmente notícia falsa, repudia Lula e declara apoio a Bolsonaro: ‘O país tem progredido’


O eminente jurista Ives Gandra Martins divulgou um vídeo desmentindo narrativas espalhadas pela esquerda, que afirmavam que ele teria declarado voto no ex-presidente Lula no segundo turno. No vídeo, Gandra afirma veementemente: “Nunca votarei no ex-presidente Lula”.

O jurista apontou: “E é evidente que, como não gosto de votar em branco, votarei no presidente Bolsonaro”. Ives Gandra Martins explicou: “Suas teses têm sido mais razoáveis. O país tem progredido, a inflação tem caído, o desemprego tem caído. Passada a pandemia e os próprios efeitos da guerra da Rússia com a Ucrânia, nós estamos permanentemente superando as previsões do Fundo Monetário Internacional, da OCDE e dos próprios economistas do Brasil. Então, o governo vai indo bem”. 

O jurista ponderou: “Evidente que teria que ser melhorado no próximo mandato. Mas estou convencido de que nós estamos no bom caminho, e as teses que ele tem defendido são, inclusive, teses que a mim, também me agradam mais. Valores, e não liberdade absoluta que leva ao desrespeito daquilo que representa os fundamentos de uma sociedade sólida, em relação à família, em relação à religião, aos valores religiosos, já que a nossa Constituição foi promulgada sob a proteção de Deus, com o voto da maioria dos constituintes, e não com o voto de grande parte do PT”. 

Ives Gandra Martins declarou: “aquilo que está correndo, que eu apóio o ex-presidente Lula nesse segundo turno, não é verdade. Nesse segundo turno, eu votarei em Bolsonaro porque entendo que o governo, no momento, passadas as crises da covid e da guerra na Ucrânia, que ainda continua mas estamos superando, a nossa economia está indo muito melhor do que as previsões de todos os órgãos internacionais”.

A ditadura da toga segue firme. O Brasil tem hoje presos políticos e jornais, parlamentares e influenciadores censurados. A Folha Política tem toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com o aplauso e o respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas. Há mais de 15 meses, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. 

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, a mando do ministro Alexandre de Moraes. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...