quinta-feira, 10 de novembro de 2022

Deputada Bia Kicis se levanta contra Lula, alfineta Moraes, do STF e do TSE, e aponta violações à liberdade dos brasileiros


Em pronunciamento no plenário da Câmara dos Deputados, a deputada federal Bia Kicis assestou injustiças e atos totalitários e parciais de Alexandre de Moraes, do STF e do TSE, contra a direita brasileira, os conservadores e até mesmo cidadãos em geral que não se alinham à sanha autoritária de determinados segmentos do Judiciário. Ademais, a parlamentar expressou o que entende como injustiças e atos parciais na condução das eleições, com favorecimento a um lado e perseguição política contra apoiadores de Bolsonaro.

Bia Kicis afirmou: “A liberdade é o principal valor em que se baseia a democracia, uma barreira contra qualquer tentação totalitária, conforme Giorgia Meloni, Primeira-Ministra da Itália, uma mulher corajosa, uma mulher que está reverberando no mundo os valores cristãos, os valores da família, os valores da liberdade. Hoje, nós nos sentimos uma minoria aqui dentro lutando pela liberdade, porque as pessoas estão acuadas diante de atos arbitrários, de abuso de poder cometidos pela caneta de togados, de magistrados, de homens que ocupam um lugar na Suprema Corte do País”. 

Nesta esteira, a congressista parabenizou brasileiros que expressam sua indignação: “Isso deixa muitos realmente assustados. Mas o que nós precisamos agora é de coragem! E a coragem, minha gente, não é ausência do medo. A coragem é agir, apesar do medo. Nós estamos vendo brasileiros corajosos por este País, brasileiros que estão inconformados com a volta à cena do crime de um corrupto condenado em três instâncias. Não existe democracia sem liberdade. Não existe democracia com censura. Não existe democracia com perseguição a um dos lados que está concorrendo”. 

Conforme a parlamentar, é necessário reagir às violações a direitos fundamentais dos brasileiros: “Os donos da verdade querem dizer o que podemos ou não pensar, o que podemos ou não dizer, se a nossa opinião é correta, é verdadeira ou não. São pessoas que estão querendo reescrever os fatos, tal qual em 1984, mas o povo brasileiro já está vacinado contra isso”.

Desse modo, ela complementou: “Eu quero, desta tribuna, dizer que não vão me calar. Vou continuar aqui usando da minha imunidade parlamentar para falar aquilo que eu penso, dotada da coragem, que eu rezo todo dia para que Deus me dê, porque nós estamos, sim, acuados. Não vamos fingir que não estamos (...). Dou graças, porque Deus tem nos honrado com coragem. Ele tem dado coragem a homens e mulheres para vencerem o medo e estarmos aqui dentro; assim como o povo corajoso está lá fora para não aceitarmos a destruição do nosso País, e o martírio do nosso povo.”.

A censura que vem se intensificando no Brasil atinge unicamente conservadores e já causou o fechamento de alguns veículos de imprensa. Mas a perseguição não se limita à censura e inclui muitas outras medidas, inclusive prisões políticas, devassas, buscas e apreensões, ass*** de reputações, entre outras. 

Grupos monopolísticos e cartéis que se associam com o intuito de barrar informações contrárias ou inconvenientes atuam em conluio com a finalidade de aniquilar qualquer mídia independente, eliminando o contraditório e a possibilidade de um debate público amplo, honesto, abrangendo todos os feixes e singularidades dos mais diversos espectros políticos. Controlando as informações, o cartel midiático brasileiro tenta excluir do debate e, em última instância, da vida pública, os conservadores e os veículos que dão voz a essas pessoas. 

A Folha Política tem toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com o aplauso e o respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas. Há mais de 16 meses, toda a nossa receita é retida, sem justificativa jurídica. 

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, a mando do ministro Alexandre de Moraes. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...