terça-feira, 1 de novembro de 2022

Deputada eleita Júlia Zanatta se emociona e aborda orientações de Bolsonaro para o futuro do Brasil e luta pela liberdade


A deputada federal eleita Júlia Zanatta desabafou, em suas redes sociais, sobre o resultado das eleições e as consequências para os brasileiros. Zanatta disse: “Estamos todos abalados, entristecidos. De certa forma, chocados. A gente tinha um sonho e esse sonho, que a gente tinha para o nosso país…Ontem, fiquei com insônia. Fazia muito tempo que não ficava. Na minha eleição, não fiquei com insônia. Pensando em tudo que a gente vai viver nestes quatro anos. Pensando se a gente vai ter liberdade de expressão, liberdades individuais. O Flávio Dino, comunista cotado para ser ministro da Justiça do Brasil, falou sobre nossos direitos, o armamento civil. Vão ser tempos difíceis. Não sei se eu, como deputada federal, vou ter imunidade para falar. Como sempre, Deus está conosco”

A deputada eleita explicou: “Não é o fato de perdermos uma eleição. É o fato de ser eleito alguém como Lula, que não é o retrato do povo brasileiro. Tudo que ele ameaçou fazer na campanha. Regular isso e aquilo. Ou aquele discurso na Avenida Paulista (...). Ninguém jogou a toalha. O presidente Jair Bolsonaro deixou bem claro, no discurso dele, que nossos sonhos estão, mais do que nunca, vivos. Vamos ficar unidos, mais do que nunca. Vamos ter dias difíceis. Vamos ter de nos reorganizar. Muitas pessoas vão abandonar o presidente Jair Bolsonaro. Temos de saber o que a gente quer e o que é a realidade”

Júlia Zanatta afirmou: “Por 28 anos, Jair Bolsonaro lutou sozinho, abandonado, excluído, lá na Câmara dos Deputados. Debochado, sendo voz única. Agora, nós temos, ele criou, ele elegeu…várias lideranças. Vocês podem ter certeza de que vou representá-los, de que irei representá-los na Câmara dos Deputados. Bolsonaro é o nosso líder, vai continuar sendo, e dará o tom de como iremos atuar”.

Muitos brasileiros estão vivendo sob o jugo de uma ditadura, em que seus direitos e garantias fundamentais estão sendo desrespeitados. O país tem presos políticos e pessoas, jornais e sites censurados. A totalidade da renda da Folha Política, e também de outros canais e sites conservadores, está sendo confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, em uma decisão que recebeu o respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Há mais de 16 meses, toda a renda do nosso trabalho é retida sem qualquer justificativa jurídica.

Se você apoia o trabalho da Folha Política, que há 10 anos mostra os fatos da política brasileira, e pode ajudar o jornal a permanecer em funcionamento, doe qualquer valor através do Pix, usando o QR Code que aparece na tela ou o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política vem enfrentando a espiral do silêncio imposta pelo cartel midiático que quer controlar a informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...