segunda-feira, 14 de novembro de 2022

Deputada Eliza Virgínia questiona declaração de Carmen Lúcia sobre ‘veneno’ e tirania de Moraes, do STF e do TSE


Em pronunciamento no plenário da Câmara dos Deputados, a deputada federal Eliza Virgínia fez uma crítica contundente à omissão daqueles que, por ainda não serem alvos de arbitrariedades e atos abusivos, conformam-se com a situação e não protestam em defesa da liberdade e dos direitos fundamentais dos brasileiros.

A parlamentar exemplificou: “Um dia chegaram e levaram o Luciano Hang, que é empresário. Mas como eu não sou rica, não sou empresária, não me importei. No outro dia, chegaram e levaram os cantores. O cantor Latino, o cantor Zezé di Camargo. Calaram o Canal Hipócritas, o Brasil Paralelo. Mas nós não somos artistas. Então, não bateu na gente. A gente não se importou”.

Ademais, ela complementou demonstrando estranhamento diante de recente declaração da ministra Carmen Lúcia, do STF e do TSE: “É como se, por exemplo, o nosso filho xingasse o filho do vizinho e deixássemos que o vizinho o punisse. Só que há uma grande diferença nisso tudo: o vizinho não tem o amor que nós temos por nosso filho, e o puniu severamente. E agora nós escutamos a nossa querida Cármen Lúcia fazer uma votação, que não era bem o que ela queria. O que será que estava por trás daquela votação que ela considerou que poderia ser um veneno?”.

No contexto atual do Brasil, muitas pessoas estão sendo tratadas como sub-cidadãos, pelo simples motivo de terem manifestado apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Por expressarem suas opiniões, são alvo de CPIs, de inquéritos secretos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes no Supremo Tribunal Federal, ou são vítimas de medidas arbitrárias como prisões políticas, apreensão de bens, e exposição indevida de dados, entre outras. 

A totalidade da renda da Folha Política, assim como de outros canais e sites conservadores, está sendo confiscada a mando do ex-corregedor do TSE, Luís Felipe Salomão, com o apoio e aplauso dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Há mais de 16 meses, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode nos ajudar a continuar nosso trabalho, doe qualquer valor através do Pix, usando o QR Code que está visível na tela, ou com o código ajude@folhapolitica.org. Se preferir transferência ou depósito, a conta da empresa Raposo Fernandes está disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo. 

Há 10 anos, a Folha Política vem mostrando os eventos da política brasileira e dando voz a pessoas que o cartel midiático quer manter invisíveis. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...