quarta-feira, 23 de novembro de 2022

Deputado comemora assinaturas por CPI para investigar abusos de Moraes e restabelecer Estado de Direito: ‘Nada é mais importante, neste momento, para o Brasil’


O deputado federal Marcel Van Hattem, em live transmitida pelas redes sociais, comemorou a velocidade com que foram obtidas assinaturas para instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar os abusos de autoridade cometidos por ministros do Supremo Tribunal Federal e do Tribunal Superior Eleitoral. Ao realizar a live, o deputado relatou que faltavam apenas 31 assinaturas. Minutos depois, publicou uma atualização mostrando que faltavam apenas 21 assinaturas das 171 necessárias para a instalação da CPI. 

Van Hattem disse: “Nós, parlamentares, o Congresso Nacional, tem o dever de representar o povo brasileiro, de defender a independência e a harmonia entre os poderes, de defender o estado de direito, de defender a correta aplicação da lei, de defender as liberdades. Nós não podemos compactuar com ataques às garantias e liberdades, nós não podemos compactuar com censura de nenhum tipo, nós não podemos compactuar com bloqueios de contas bancárias ou de redes sociais sem o devido processo legal, nós não podemos continuar compactuando com tantos abusos de autoridade que nós estamos vendo, e por isso o povo está solicitando investigação, e por isso todos vocês estão apoiando este pedido de abertura de CPI”. 

O deputado explicou ainda que a CPI deverá realizar os trabalhos ainda nesta legislatura, mesmo que isso implique trabalhar durante o recesso parlamentar. Van Hattem afirmou: “Nada é mais importante, neste momento, para o Brasil e para a democracia do que restabelecer a harmonia e a independência entre os poderes”.

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e pessoas que apenas têm um discurso diferente do imposto pelo cartel midiático vêm sendo perseguidos, em especial pelo Judiciário. Além dos inquéritos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, também o ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, criou seu próprio inquérito administrativo, e ordenou o confisco da renda de sites e canais conservadores, como Bárbara, do canal Te Atualizei, e a Folha Política. Toda a receita gerada pelo nosso jornal desde 1º de julho de 2021 está bloqueada por ordem do TSE, com aplauso dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Há mais de 16 meses, toda a renda do nosso trabalho vem sendo retida, sem qualquer previsão legal. 

Sem a possibilidade de receber a renda de seu trabalho, o jornal corre o risco de fechar. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar, use o QR Code que está visível na tela para doar qualquer quantia, ou use o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política faz a cobertura da política brasileira, mostrando atos, pronunciamentos e eventos dos três poderes, quebrando a espiral do silêncio imposta pelo cartel de mídia que quer o monopólio da informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...