sexta-feira, 18 de novembro de 2022

Guedes retruca quem pede a prisão de Bolsonaro e dá lição sobre ‘4 linhas’ e futuro da liberdade


Durante o evento de celebração do Aniversário de 30 anos da Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia, o ministro da Economia, Paulo Guedes, enfatizou as dificuldades superadas pelo governo Bolsonaro e o grau de deslealdade e desonestidade intelectual dos ataques que o governo sofreu, além das ameaças que sofre atualmente. O ministro disse: “Quero mandar um abraço ao presidente Jair Bolsonaro. Lutou muito. Lutou pelo Brasil. Foi um patriota todo o tempo. Jogou dentro das quatro linhas. Fizeram e estão fazendo com ele o que disseram que ele ia fazer. Saindo das quatro linhas. Muita gente pedindo para [fazer com ele] coisas indignas. Lula foi preso, Temer foi preso, agora Bolsonaro vai preso? Que história é essa? Ou ganha eleição ou vai preso? Que Estado de Direito é esse? (...). A regra do jogo é que quem é mais forte prende o outro? Tem que parar de medir forças para ver qual poder é mais forte que o outro. Tem de haver cooperação entre os poderes, como fizemos por 4 anos”

O ministro Paulo Guedes apontou: “O presidente Jair Bolsonaro é uma força. A centro-direita tinha 30% do Congresso quando chegamos aqui em 2019. Hoje, é 70-75%.  A centro-direita subiu no Brasil. O presidente ganhou em 4 das 5 regiões, 80% do PIB. Existe uma massa de brasileiros, democratas, que quer seguir a aliança de liberais e conservadores. E ela tem força no Congresso. O amor à Pátria e o respeito à democracia são maiores que as injustiças e que a parcialidade. O presidente Jair Bolsonaro possivelmente vai liderar uma bancada de oposição construtiva para preservar nossas liberdades. Liberdade de imprensa - parece que anda ameaçada. Liberdade de opinião - parece que anda ameaçada. Liberdade econômica - talvez seja ameaçada. Liberdade religiosa”.

O ministro defendeu a criação de uma democracia real, sem a imposição de narrativas para empurrar uma agenda: “Nossa democracia continua saci-pererê. Pula só com a perninha esquerda por causa da parcialidade. Precisamos nos livrar dessa parcialidade, dessas injustiças, das narrativas falsas (...). Não acreditem em mentiras. Quem mente vai fazer besteira, quem mente já está mal-intencionado. Trabalhem duro como nós fizemos. Não comecem com desonestidades, pois fica todo mundo achando que é o país do roubo, da mentira. Não é, é um país sério”.

Paulo Guedes lembrou: “Enfrentamos circunstâncias adversas. Cheio de pica-paus na Arca de Noé. Você enfrentando um dilúvio e a turma furando o chão para ver se afunda rápido. Pandemia, COVID, narrativas políticas. Pessoas cometendo excessos. As instituições, acredito em um aperfeiçoamento. Tem sempre alguém fora da caixa. Tem ministros falando besteira. Eu posso ter falado algum dia, peço desculpas se ofendi alguém. Vi muitas coisas sendo distorcidas (...). A desonestidade intelectual deforma tudo e desumaniza as pessoas. Nós somos desumanizados. O presidente Jair Bolsonaro não é o ser desumano que pintaram. É apaixonado, patriota, foi transformado em um demônio. E quem fez coisa errada é transformado em santo. Isso está errado. Temos de ter um senso de justiça, de buscar o melhor”

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e pessoas que apenas têm um discurso diferente do imposto pelo cartel midiático vêm sendo perseguidos, em especial pelo Judiciário. Além dos inquéritos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, também o ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, criou seu próprio inquérito administrativo, e ordenou o confisco da renda de sites e canais conservadores, como Bárbara, do canal Te Atualizei, e a Folha Política. Toda a receita gerada pelo nosso jornal desde 1º de julho de 2021 está bloqueada por ordem do TSE, com aplauso dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Há mais de 16 meses, toda a renda do nosso trabalho vem sendo retida, sem qualquer previsão legal. 

Sem a possibilidade de receber a renda de seu trabalho, o jornal corre o risco de fechar. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar, use o QR Code que está visível na tela para doar qualquer quantia, ou use o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política faz a cobertura da política brasileira, mostrando atos, pronunciamentos e eventos dos três poderes, quebrando a espiral do silêncio imposta pelo cartel de mídia que quer o monopólio da informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...