sexta-feira, 4 de novembro de 2022

Parlamentares, economistas e cidadãos reagem a PEC de equipe de Lula para furar teto de gastos


No primeiro dia de funcionamento, a equipe de transição de Lula propôs apresentar uma Proposta de Emenda à Constituição para furar o teto de gastos antes mesmo de assumir, atribuindo-se uma autorização para gastar R$ 200 bilhões para manter algumas de suas promessas de campanha. Parlamentares, economistas e cidadãos reagiram à proposta pelas redes sociais.

O senador Luis Carlos Heinze disse: “o PT nem assumiu e já quer enfiar a mão no cofre! 👁️ O governo de transição articula a aprovação da PEC que causa um rombo de R$ 200 bilhões nas contas públicas, só para cumprir promessas de campanha! A medida é insustentável e vai desvalorizar o Real, aumentar a inflação, elevar os juros e causar desemprego. Diga não à PEC da transição!”. O senador acrescentou a hashtag #EleVoltouACenaDoCrime

O deputado federal Luiz Philippe de Orleans e Bragança afirmou: “Querem aprovar a PEC de transição com rombo agora pois na próxima legislatura não aprovaria. E se aprovado, a culpa pela inflação que o rombo gerará ficará no colo dos parlamentares e não do futuro governo. Conveniente”.

O deputado federal Major Vitor Hugo apontou: 

“Lembram-se de toda resistência de parte da imprensa e da oposição quando da necessária aprovação das PEC dos Precatórios e dos Auxílios?! A complacência atual com os 200 BILHÕES que o PT quer é a prova mais concreta da parcialidade.. a irresponsabilidade é deles, mas o dinheiro é seu.

O comentário da Miriam Leitão [não sei pq os ouço ainda de manhã… pra saber os argumentos deles e passar raiva com a parcialidade, talvez…] hj foi uma verdadeira declaração de amor ao PT e às suas primeiras ações nesse momento.. qto do nosso $ vai voltar para a propaganda oficial?!”

O deputado federal Alexis Fonteyne disse: “A PEC de transição é o primeiro golpe a ser aplicado. Adeus responsabilidade fiscal, a especialidade do PT é gastar o dinheiro dos outros até que acabe. Apertem os cintos, quem vai pagar a conta é você e as futuras gerações. Votarei contra!”

A economista Marina Helena afirmou: “Lula precisa de R$ 200 BILHÕES pra cumprir as promessas de campanha. Sua equipe acertou com o senador relator do orçamento uma PEC pra driblar o teto de gastos e obter a grana. Lula nem tomou posse e o chicote nas costas do pagador de impostos já tá estalando. Prepare o bolso!”

O economista João Henrique da Fonseca disse: 

“- Bolsonaro gastando R$41 bilhões a mais: "PEC KAMIKAZE! ABSURDO!"

- Lula gastando pelo menos R$200 bilhões a mais: "Olha que bonitinha essa PEC DA TRANSIÇÃO".

Parabéns para você que se informa pela grande mídia. Confia!”

O deputado federal Carlos Jordy afirmou :”Lula está negociando uma PEC para impor rombo de 200 BILHÕES para o orçamento de 2023. Suas propostas irresponsáveis e sem compromisso fiscal só podem ser efetivadas caso seja ignorado o teto de gastos. O resultado será aumento da dívida e inflação. Não aceitaremos esse absurdo!”. O deputado acrescentou: “Fizeram promessas de campanha impossíveis de serem cumpridas, numa disputa lunática e desleal para enganar o eleitor, e agora querem aprovar a “PEC da transição”, provocando rombo de 200 bilhões para garantir a “picanha e cerveja”? Uma ova. Essa é a PEC do estelionato eleitoral!”

O advogado Rafael Lougon perguntou: “Cadê os analistas de economia do Valor, Folha e Estadão alertando sobre o risco fiscal e irresponsável dessa nova PEC DA TRANSIÇÃO que Lula quer aprovar até dia 15/12? Agora tá liberado gastar então?”

A deputada federal Adriana Ventura disse: “E agora isso: uma PEC para começar 2023 com despesas inadiáveis acima do Teto de Gastos. 200 bilhões acima do teto de gastos. E lá vamos nós para a irresponsabilidade fiscal”.

A ditadura da toga segue firme. O Brasil tem hoje presos políticos e jornais, parlamentares e influenciadores censurados. A Folha Política tem toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com o aplauso e o respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas. Há mais de 16 meses, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. 

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, a mando do ministro Alexandre de Moraes. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...