domingo, 13 de novembro de 2022

Tenente-Coronel Zucco se pronuncia após nota das Forças Armadas e manifestações: tirania, censura e arbitrariedades do STF


O deputado estadual Tenente-Coronel Zucco, ex-assessor do vice-presidente da República, General Mourão, e deputado federal eleito com o maior número de votos no Rio Grande do Sul, pronunciou-se após os comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica emitirem uma nota às instituições e ao povo brasileiro.

O parlamentar declarou: “Meu apoio incondicional ao presidente Jair Bolsonaro e aos brasileiros. Quero destacar alguns pontos muito importantes da nota das Forças Armadas. Ela diz que não constitui crime a manifestação crítica aos poderes constitucionais nem a atividade jornalística ou a reivindicação de direitos e garantias constitucionais, por meio de passeatas, reuniões, greves, aglomerações ou qualquer outra forma de manifestação política com propósitos sociais”.

No ensejo, ele citou: “Da mesma forma, reiteramos a crença na importância da independência dos Poderes, em particular do Legislativo, Casa do Povo, destinatário natural dos anseios e pleitos da população, em nome da qual legisla e atua, sempre na busca de corrigir possíveis arbitrariedades ou descaminhos autocráticos que possam colocar em risco o bem maior de nossa sociedade, qual seja, a sua Liberdade”.

Nesta toada, o oficial avaliou: “Minha interpretação: ninguém do Judiciário pode prender ou constranger quem exercer a livre manifestação de opinião. O povo tem todo o direito de questionar e cobrar explicações de autoridades em manifestações pacíficas e ordeiras. O povo tem direito de pressionar seus representantes para que nossa liberdade seja garantida e nosso processo democrático seja respeitado. Não serão admitidos quaisquer atos de censura”.

A ditadura da toga segue firme. O Brasil tem hoje presos políticos e jornais, parlamentares e influenciadores censurados. A Folha Política tem toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com o aplauso e o respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas. Há mais de 16 meses, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. 

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, a mando do ministro Alexandre de Moraes. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...