terça-feira, 13 de dezembro de 2022

Comandante da Marinha se pronuncia ao lado de Bolsonaro e ressalta dever dos militares de preservar a liberdade do povo brasileiro: ‘Ao qual sempre devotamos todas as nossas ações’


Em pronunciamento por ocasião do Dia do Marinheiro, o Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Almir Garnier Santos, pronunciou-se ao lado do presidente Jair Bolsonaro, do General Mourão, vice-presidente da República, e de outras autoridades. O oficial ressaltou como o Almirante Tamandaré demonstrou, desde a juventude, a disposição de lutar pela liberdade do Brasil, sendo um exemplo de coragem e amor pelo país. Dessa maneira, o oficial explicou como, por meio deste exemplo, os militares devem, ao povo brasileiro, lealdade e garantia da preservação de sua liberdade.

O Almirante ressaltou: “A data de 13 de dezembro, ocasião especial em que comemoramos o Dia do Marinheiro, foi escolhida não por acaso. Ela homenageia o nascimento do Almirante Tamandaré, como forma de reconhecimento por todos os seus feitos e pelos valores cultivados ao longo de uma carreira de 66 anos de bons serviços prestados ao Brasil e à Marinha. A humildade, o caráter e o respeito ao próximo são algumas das virtudes eternizadas nas breves palavras de seu testamento, e que bem representam a dimensão alcançada por este insigne Chefe Naval, exemplo de líder militar. O amor pela Marinha e pelo Brasil, e a vocação inata pelas coisas do Mar, são características marcantes de nosso Patrono, as quais herdamos e protegemos com toda nossa alma, até os dias atuais”.

Dessa maneira, ele complementou: “Com apenas 15 anos de idade, contra a vontade de seus pais, Tamandaré ingressou na Marinha, como Voluntário da Armada. Teve seu Batismo de Fogo nas lutas pela Independência na Bahia, junto à Flotilha de Itaparica, ao lado do Tenente João das Botas, demonstrando, ainda cedo, sua coragem e disposição de lutar pela liberdade da nascente ‘Nação verde e amarela’”.

O oficial salientou, ainda, como os militares devotam ao povo brasileiro todas as suas ações, sendo primacial a defesa da liberdade da população: “Parabéns Marinheiros de hoje, de ontem e de sempre, com ou sem farda, da ativa ou da reserva! Seus esforços nunca foram em vão. Assim como Tamandaré, suas ações permanecerão como inspiração para as gerações predecessoras, contribuindo para que nossa Marinha siga navegando rumo à realização dos nossos sonhos e aspirações, mantendo a soberania do Brasil e a liberdade do povo brasileiro, ao qual sempre devotamos todas as nossas ações e reflexões”.

O Comandante sintetizou, ainda, sua perspectiva estratégica para a soberania brasileira: “Atualmente, é importante refletirmos sobre o papel da Amazônia Azul e das Águas Interiores para a sobrevivência das próximas gerações de brasileiros. A cada dia que passa, nossas águas assumem condição cada vez mais estratégica para o futuro do País. São artérias por onde fluem esmagadora parte de nossa economia, que congregam reservas incalculáveis de recursos naturais e de rica biodiversidade, uma riqueza que temos o dever de proteger e a obrigação de explorar com sustentabilidade, perpetuando seu uso para os que virão. Aliado a isso, releva destacar que a preponderância do Brasil no Atlântico Sul e a defesa dos nossos interesses no destino do Sexto Continente evidenciam, também, a necessidade de dispormos de uma Força Naval moderna, forte e preparada, capaz de fazer frente a qualquer ameaça, apta a contribuir para a manutenção de nossa posição de destaque no Concerto das Nações (...). Brasileiros e brasileiras, senhor presidente da República, contem com a sua, a minha, a nossa Marinha. Tudo pela Pátria”.

A ditadura da toga segue firme. O Brasil tem hoje presos políticos e jornais, parlamentares e influenciadores censurados. A Folha Política tem toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com o aplauso e o respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas. Há mais de 17 meses, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. 

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, a mando do ministro Alexandre de Moraes. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...