sábado, 17 de dezembro de 2022

Coronel Tadeu confronta Lula após desastre iniciado antes mesmo de o petista assumir


Em pronunciamento por meio de suas redes sociais, o deputado federal Coronel Tadeu demonstrou sua indignação com a decisão da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal, que mandou soltar o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, comparando com o caso do cacique indígena que foi preso por se manifestar, e cuja prisão foi mantida.  O deputado desabafou sobre a situação: “O índio não foi solto. Cadê as ONGs? E o Sérgio Cabral? Tem 400 anos de pena. Não tenho noção de quanto de dinheiro foi desviado e vai ser solto. O índio, preso lutando por liberdade, está preso. A luta vai ser muito grande. A guerra é longa, vai demorar muitos anos. O BNDES é financiado por nós, nós que colocamos o dinheiro nesse banco. Ele deveria ser revertido aqui dentro do Brasil para tudo que precisamos. Quem tem carteira assinada contribui com o FGTS. Isso é compulsório, é lei. Enquanto não sacamos, serve para construir casas e outras coisas. Fica no Brasil. Por que o dinheiro do BNDES também? A Argentina está quebrada, inflação de 92%, já avisou que vai tomar, com o BNDES, milhões de dólares. A gente sabe que nunca mais vai pagar. O Alberto Fernandéz acertou isso com o Lula. Administração do PT. O que daria para fazer com 800 milhões de dólares, 4 bilhões de reais? Cem mil casas populares”.

Coronel Tadeu disse: “Lula falou que ia dar cerveja e picanha para todo mundo e, agora, olha o que está fazendo com o nosso dinheiro. Nesse momento, o que está acontecendo nas bolsas de valores é assustador. Ministro da Fazenda que não sabe de economia, que foi o pior prefeito de São Paulo. Nas bolsas, a perda é de mais de 600 bilhões por conta das besteiras que o PT está fazendo sem sequer estar governando. São tempos difíceis que a gente vai viver, inflação, preparem-se para as coisas ficarem caras. Quando o Lula anunciou que ia gastar mais do que arrecada, começou a ter efeitos no mercado todo. Quando ele faz isso, o Brasil perde credibilidade. O Brasil tem contas a pagar”.

O deputado explicou os riscos caso a PEC proposta pela equipe de Lula seja aprovada: “Todo o esforço que tivemos para conseguir milhões de empregos está indo por água abaixo. Vocês não têm noção do que essa PEC pode fazer. Do estrago. Vamos lutar para que o povo brasileiro não seja prejudicado pelas manobras do PT para que o Brasil faça ainda mais dívidas (...) “Na semana que vem, teremos a votação. Essa PEC vai ficar cara para todo mundo”.

Há 10 anos, a Folha Política atua noticiando fatos, discursos, argumentos e denúncias que são obliteradas pela velha imprensa. Nosso veículo de imprensa dá voz às vozes conservadoras, ao anticomunismo, à defesa dos direitos fundamentais e da liberdade de expressão e de imprensa, além de trazer ao público os vídeos dos pronunciamentos de autoridades para que o público possa formar sua própria opinião sobre o que foi dito e não precise depender de relatos de terceiros. 

Quem controla a informação controla, em última instância, a realidade. Grupos monopolísticos e cartéis que se associam com o intuito de barrar informações contrárias ou inconvenientes atuam em conluio com a finalidade de aniquilar qualquer mídia independente, eliminando o contraditório e a possibilidade de um debate público amplo, honesto, abrangendo todos os feixes e singularidades dos mais diversos espectros políticos. Controlando as informações, o cartel midiático brasileiro tenta excluir do debate e, em última instância, da vida pública, os conservadores e os veículos que dão voz a essas pessoas. 

A renda da Folha Política está sendo confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com respaldo e apoio de Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. A decisão confisca, de forma indiscriminada, todas as receitas advindas do Youtube, indicando claramente que a intenção não é a de excluir conteúdos específicos, mas sim de calar o canal e eliminar a empresa. Há mais de 17 meses, toda a nossa renda é retida, sem qualquer justificativa jurídica. O atual corregedor, Benedito Gonçalves, impôs novas restrições ao canal, a pedido da coligação de esquerda que disputou a eleição.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política vem mostrando a realidade da política brasileira e quebrando barreiras do monopólio da informação. Com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...