terça-feira, 20 de dezembro de 2022

General Peternelli rebate decisão de Gilmar Mendes, do STF, faz alerta e retruca Lula e petistas


Em pronunciamento na Câmara dos Deputados, o deputado federal General Peternelli rebateu recente decisão de Gilmar Mendes, ministro do STF, confrontou ataques ao teto de gastos e esmiuçou os riscos da disseminação de práticas de irresponsabilidade fiscal. Neste contexto, o parlamentar rebateu manipulações propagadas por Lula e apoiadores.

O oficial salientou a hipocrisia de parlamentares de esquerda, os quais justificam a leviandade para com o erário alegando uma suposta ajuda essencial aos mais pobres: “Como é que nós podemos brigar por uma PEC que permite um Bolsa Família adequado, mas, ao mesmo tempo, voltar a criar quase 40 Ministérios? Isso não tem lógica. Se o Brasil tem que economizar, se o Brasil tem que gastar menos, se nós precisamos de dinheiro para o Bolsa Família, como podemos estar recriando quase 40 Ministérios? Nós não estamos dando prioridade ao mais pobre. Quem vai pagar essa conta é exatamente o mais pobre”.

Nesta toada, o parlamentar retrucou recente decisão de Gilmar Mendes: “Nós estamos colocando uma PEC que vem ainda agravada por algumas decisões. Quando o Ministro do Supremo Gilmar Mendes diz que o gasto social com o Bolsa Família está fora desse teto do gasto, como isso é possível? Como essa família pode dizer: "O que você gastar em alimentação está fora do seu teto de gasto?" Não existe isso. Tudo o que essa família gasta tem que estar lá embutido. Nós estamos tendo uma irresponsabilidade. Temos que nos adequar ao que o Brasil arrecada. O nosso endividamento está aumentando dessa forma com relação ao nosso Produto Interno Bruto, ao nosso PIB”.

Outrossim, o congressista ressaltou: “E o Supremo, quando intervém nessa mecânica, contribui para o empobrecimento dessa população, daqueles que mais necessitam. Nós temos que fazer aqueles que necessitam ganhar mais através de bons empregos, através de desenvolvimento, do incentivo à indústria, do incentivo ao trabalho. Temos que propiciar maior empreendedorismo. E nós estamos na contramão”.

Ademais, o deputado assestou como serão beneficiados os funcionários públicos remunerados com “supersalários”: “Vamos esclarecer que estamos dando hoje aqui esses aumentos, como já foi dito, sem nenhum amadurecimento, votando com urgência para aqueles que ganham acima de 30 mil reais, para aqueles que tem um supersalário. É aquela política nossa de combater o supersalário e, na realidade, aumentar o subsalário. É o que nós estamos fazendo hoje. E dizem que estamos aumentando para beneficiar o mais pobre. Isso não corresponde à realidade”.

A ditadura da toga segue firme. O Brasil tem hoje presos políticos e jornais, parlamentares e influenciadores censurados. A Folha Política tem toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com o aplauso e o respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas. Há mais de 17 meses, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. 

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, a mando do ministro Alexandre de Moraes. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...