segunda-feira, 19 de dezembro de 2022

Parlamentares, cidadãos e general se manifestam após decisão de Gilmar Mendes: ‘precisamos de Congresso?’


Atendendo a pedido da Rede Sustentabilidade, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, decidiu, monocraticamente, em um domingo, retirar os recursos destinados ao pagamento do Bolsa Família do teto de gastos. A decisão surpreendeu e revoltou parlamentares, que debatem no Congresso a “PEC do Lula”, e cidadãos, que se manifestaram pelas redes sociais. 

O deputado General Girão afirmou: “mais uma interferência do STF, num domingo, beira às raias do absurdo dos absurdos. Isso representa outro rombo no Orçamento Federal. Decisão de quem nunca recebeu um voto do povo. Ofensa grave à Lei e à Ordem. A CF tem uma VACINA eficaz para garantir a Lei e a Ordem”.

O deputado Sanderson disse: “A pedido do REDE, Gilmar Mendes retira Auxílio Brasil do teto de gastos e agora nem será necessário aprovar a PEC do Lula para liberar a gastança. Resolvido o problema do PT numa única canetada. Usurpação descarada do STF, que só acontece graças à omissão do Congresso Nacional”.

O deputado Marcel Van Hattem apontou: “O Supremo já fechou o Congresso Nacional, só não vê quem não quer. Judiciário decide sobre tudo que cabe ao Parlamento: um Ministro tem mais poder em uma canetada do que 594 parlamentares. Legislativo pra quê? Com a palavra Arthur Lira e Rodrigo Pacheco”. 

O deputado federal eleito André Fernandes afirmou: “Gilmar Mendes, do STF, manda excluir Bolsa Família do teto de gastos em 2023. Isso mesmo, um ministro do STF! Arthur Lira e Pacheco, já podem entregar a chave do Congresso Nacional”.

O deputado Junio Amaral perguntou: “Congresso pra quê? Ao constatar que na Câmara dos Deputados a aprovação da PEC do Ladrão não seria simples como no Senado, o PT recorreu ao seu puxadinho. Gilmar Mendes resolveu o problema, colocou o congresso no bolso e praticamente aprovou a PEC no STF mesmo”.

O deputado Daniel Freitas disse: “Simplesmente nessa madrugada Gilmar Mendes DECIDIU que o Bolsa Família vai ficar fora do teto de gastos e ponto final.  Nós recebemos os votos da população e não podemos representá-los. Pelo visto não existe mais legislativo. Acabou. Entreguem a chave e fechem o Congresso”.

O investidor Leandro Ruschel questionou: “um único ministro do Supremo dá uma canetada e decide o orçamento do país. Gilmar Mendes acabou de decidir que o Auxílio Brasil pode ficar fora do Teto de Gastos. O Congresso ainda serve para alguma coisa?”. Ruschel acrescentou: “Ao decidir, sozinho, que Lula pode desrespeitar o Teto para pagar o Auxílio Brasil, sugerindo ainda que TODO DIREITO FUNDAMENTAL fique fora do limite, Gilmar Mendes acaba de vez com o Teto de Gastos. O Congresso fica ainda menor. Quem governa o país é o Supremo”.

O especialista em segurança pública Fabricio Rebelo perguntou: “Para que serve o Poder Legislativo hoje no Brasil?”.

O senador eleito Rogério Marinho, candidato à presidência do Senado, disse: “O parlamento cada vez mais irrelevante e a democracia cada vez mais desequilibrada, com a clara hipertrofia e interferência demonstradas, de forma reiterada do judiciário nos processos próprios do legislativo. Agora,vamos aguardar manifestação dos presidentes do senado e câmara … Virá???”

O deputado federal eleito Zé Trovão disse: “Mais uma vez o congresso sendo colocado de joelhos diante dos desmandos, uma ação do partideco Rede Sustentabilidade que está se mostrando muito íntimo do Judiciário dá aos nove dedos a vitória que na câmara dos deputados ele não teria. Decisão do Ministro Gilmar Mendes”.

O movimento Advogados de Direita Brasil publicou: “VERGONHA! “A medida de Gilmar Mendes interfere diretamente na queda de braço entre o governo eleito e o Congresso para a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Estouro, que provoca um aumento das despesas públicas de cerca de R$ 200 bilhões.”

O deputado federal eleito Gilberto Silva disse: “PODE FECHAR O CONGRESSO NACIONAL! Ministro do STF Gilmar decide que Bolsa Família pode ficar fora do teto de gastos. Ministro atende pedido da Rede Sustentabilidade em meio a negociações de Lula e Lira por PEC da Transição. Se Lula assumir não haverá oposição no Brasil”.

O deputado José Medeiros afirmou: “Com a decisão do STF em deixar o auxílio emergencial fora do teto, não faz mais sentido o Congresso votar a PEC”.

O vereador Douglas Gomes perguntou: “para que serve o congresso se temos um judiciário que atropela tudo?”

O economista João Henrique da Fonseca ironizou: “### URGENTE: NA CALADA DA NOITE, STF REMOVE PROGRAMAS DE RENDA MÍNIMA DO TETO DE GASTOS. Já é dólar a R$6 na Austrália?”.

A economista Marina Helena questionou: “Gilmar Mendes determinou que recursos para pagamento da renda mínima estão fora do teto de gastos. Precisamos de Congresso com esse Judiciário que legisla?”

A jornalista Fernanda Salles ironizou: “Não precisa mais do Congresso! Só existe um poder no Brasil!”

O advogado Fábio Talhari afirmou: 

1. Bom dia, amigos. Em recesso, o pstf não deixa de lado sua vocação tirânica. Podem fechar o CN, que não tem mais serventia alguma, ora! Estamos, MESMO, em uma juristocracia: é a "ditadura do judiciário". Também é um sinal de como serão as coisas no governo dos ladrões.

2. Monocraticamente, não se preocupem, pode ser que no recesso mesmo o plenário endosse a decisão. Sabem o que vai acontecer? Além de arrebentar com as contas públicas, o bolsa-família vai ser o manancial de recursos públicos onde os corruptos enfiarão as picaretas. Avidamente!

A internauta Patricia Paula perguntou: “PRA QUE CONGRESSO???? Isso é responsabilidade única e exclusiva da inércia de 4 anos do legislativo que permitiu esse AGIGANTAMENTO do SFT sobre as suas funções. O congresso MORREU!”

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e pessoas que apenas têm um discurso diferente do imposto pelo cartel midiático vêm sendo perseguidos, em especial pelo Judiciário. Além dos inquéritos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, também o ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, criou seu próprio inquérito administrativo, e ordenou o confisco da renda de sites e canais conservadores, como Bárbara, do canal Te Atualizei, e a Folha Política. Toda a receita gerada pelo nosso jornal desde 1º de julho de 2021 está bloqueada por ordem do TSE, com aplauso dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Há mais de 17 meses, toda a renda do nosso trabalho vem sendo retida, sem qualquer previsão legal. 

Sem a possibilidade de receber a renda de seu trabalho, o jornal corre o risco de fechar. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar, use o QR Code que está visível na tela para doar qualquer quantia, ou use o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política faz a cobertura da política brasileira, mostrando atos, pronunciamentos e eventos dos três poderes, quebrando a espiral do silêncio imposta pelo cartel de mídia que quer o monopólio da informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...