sábado, 21 de janeiro de 2023

Bolsonaro responde a matéria da velha imprensa e publica suas respostas sobre suposto ‘caixa 2’


O ex-presidente Jair Bolsonaro publicou, pelas redes sociais, suas respostas a uma matéria da velha imprensa que lhe atribuiu a prática de caixa 2, apresentando como “evidências” o fato de seu ajudante de ordens lidar com dinheiro, assim como sua esposa. A matéria indica ter acesso privilegiado a inquéritos sigilosos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes, apontando expressamente que os materiais foram obtidos pelas quebras de sigilo ordenadas pelo ministro.

Bolsonaro publicou as respostas às perguntas do veículo. Ouça o texto publicado pelo ex-presidente:

RESPOSTA À MENTIROSA MATÉRIA DO BLOG METRÓPOLES:

PERGUNTAS PARA O PRESIDENTE JAIR BOLSONARO

1 - *Por que o tenente-coronel Mauro Cesar Cid e sua equipe pagavam contas e outras despesas do senhor e de seus familiares em dinheiro vivo?*

Faz parte de suas atribuições, previsto no Decreto nº 10.374, de 2020:

Art. 8º  À Ajudância de Ordens compete:

I - prestar os serviços de assistência direta e imediata ao Presidente da República nos assuntos de natureza pessoal, em regime de atendimento permanente e ininterrupto, em Brasília ou em viagem;

II - receber as correspondências e os objetos entregues ao Presidente da República em cerimônias e viagens e encaminhá-los aos setores competentes; e

III - realizar outras atividades determinadas pelo Chefe do Gabinete Pessoal do Presidente da República.

2 - *Por qual razão eram feitos saques a partir de cartões corporativos?*

Nunca foram feitos saques do cartão corporativo pessoal que ficava nas mãos dos ajudantes de ordens, bem como nunca se utilizaram do mesmo, conforme consta nos extratos comprobatórios em anexo.

3 - *Essas transações tinham aval do senhor?*

Nunca foram feitos saques do cartão corporativo pessoal que ficava nas mãos dos ajudantes de ordens, bem como nunca se utilizaram do mesmo, conforme consta nos extratos comprobatórios em anexo.

4 - *Como o tenente-coronel manejava também dinheiro sacado de cartões corporativos, como é possível garantir que não havia uma mistura dos recursos ao pagar despesas que eram pessoais, incluindo algumas da família da primeira-dama?*

Os ajudantes de ordens nunca fizeram saque no cartão corporativo, bem como nunca se utilizaram do mesmo, conforme consta nos extratos comprobatórios em anexo.

5 - *O senhor tinha conhecimento de que o tenente-coronel manejava também recursos sacados de cartões corporativos de outros órgãos, inclusive de organizações militares?*

Os ajudantes de ordens nunca tiveram acesso a nenhum cartão corporativo de nenhum órgão e muito menos de nenhuma organização militar. Isso é facilmente comprovado no portal da transparência.

6 - *Por que cabia ao tenente-coronel Cid falar com apoiadores do senhor, inclusive pessoas que figuram como investigadas nos inquéritos que correm no STF?*

Os ajudantes de ordens são responsáveis pela condução e execução da agenda presidencial e durante o dia várias pessoas buscam contato com o Pr.

7 - *A intermediação do tenente-coronel se dava para que o senhor não tivesse que tratar diretamente com esses apoiadores? Por quê?*

Já foi respondido acima

8 - *O senhor teme ser pessoalmente implicado nas investigações em curso no Supremo que miram o tenente-coronel Cid?*

Já sou parte da grande maioria delas.

9 - *Por que a primeira-dama Michelle Bolsonaro usava um cartão de crédito de uma amiga?*

A primeira dama utilizou o cartão adicional de uma amiga de longa data. A utilização se deu porque a Michelle não possuía limites de créditos disponíveis. A última utilização foi em julho de 2021, cuja fatura resultou em R$ 408,03 ( quatrocentos e oito reais e três centavos). 

10 - *Qual é a relação do senhor e de sua família com a senhora Rosimary Cordeiro?*

A Sra Rosemary Cordeiro é amiga da Michelle há mais de 15 anos.

11 - *Por que o tenente-coronel Cid, ainda no final de seu governo, foi designado para comandar um batalhão com missão tão sensível como o 1º BAC, no Comando de Forças Especiais? Foi um recado para o novo governo?*

Ele foi designado em maio, antes da eleição, sem minha interferência, seguindo o processo seletivo de Exercito que iniciou em setembro de 2021. Independentemente do resultado eleitoral ele daria prosseguimento na sua carreira militar.

LEMBRETES:

- Descumprimento de decisão do Ministro Alexandre de Morais que mandou retirar as matérias que faziam referências aos vazamentos de inquérito sigiloso.

- Cabe ressaltar que todas as despesas administradas pela Ajudância de ordens possuíam um total aproximado de R$ 12 mil  (doze mil reais) mensais oriundos exclusivamente da conta PESSOAL do Presidente da República.

O possível descumprimento de decisão do ministro Alexandre de Moraes não deve acarretar qualquer consequência ao veículo, diferentemente do que ocorre com cidadãos comuns, que podem ser acusados a qualquer tempo de descumprir ordens das quais sequer têm conhecimento, emitidas em inquéritos ilegais e sigilosos. 

Conforme mencionado nas respostas à velha imprensa, o ex-presidente Jair Bolsonaro é alvo de vários desses inquéritos conduzidos nas cortes superiores, nos quais parlamentares de extrema-esquerda e a velha imprensa substituem a ação do ministério público, que não participa das investigações ou se limita a tomar ciência dos atos. 

No contexto atual do Brasil, muitas pessoas estão sendo tratadas como sub-cidadãos, pelo simples motivo de terem manifestado apoio ao ex-presidente Jair Bolsonaro. Por expressarem suas opiniões, são alvo de CPIs, de inquéritos secretos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes no Supremo Tribunal Federal, ou são vítimas de medidas arbitrárias como prisões políticas, apreensão de bens, e exposição indevida de dados, entre outras. 

No chamado ‘inquérito do fim do mundo’, e nos inquéritos dele decorrentes, já houve: prisões políticas sem que houvesse sequer indiciamento das pessoas presas; imposição de uso de tornozeleira eletrônica e ‘prisão domiciliar’ em endereço diferente de onde as pessoas moravam; quebra de sigilo de parlamentares, inclusive de um senador; quebra de sigilos de pessoas e empresas, inclusive de veículos de imprensa; quebra de sigilos do ajudante de ordens do presidente da República; censura de veículos de imprensa e de parlamentares; bloqueio de redes sociais de jornalistas, veículos de imprensa e parlamentares; buscas e apreensões em empresas, residências - inclusive de um general da reserva -, residências de familiares, e gabinetes de parlamentares; proibição de contato entre pessoas, que muitas vezes, nem se conhecem; proibição a parlamentares de concederem entrevistas; intervenções no comando de partido político; prisões em massa; entre outras. 

A totalidade da renda da Folha Política, assim como de outros canais e sites conservadores, está sendo confiscada a mando do ex-corregedor do TSE, Luís Felipe Salomão, com o apoio e aplauso dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Há mais de 18 meses, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode nos ajudar a continuar nosso trabalho, doe qualquer valor através do Pix, usando o QR Code que está visível na tela, ou com o código ajude@folhapolitica.org

Há 10 anos, a Folha Política vem mostrando os eventos da política brasileira e dando voz a pessoas que o cartel midiático quer manter invisíveis. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...